Bolsa de Valores baterá muitos recordes em 2018?

  •  
Bolsa de Valores baterá muitos recordes em 2018? Foto: divulgação Bolsa de Valores baterá muitos recordes em 2018?

O mercado financeiro sempre tenta prever os próximos acontecimentos. É desta maneira que os produtos financeiros são rentabilizados ou não. Saber se é hora de vender ou comprar são fatores decisivos. O Bitcoin, por exemplo, é um caso típico do estrago que faz uma decisão errada. Sua queda ríspida nas últimas semanas revela que o que muitos esperavam, não aconteceu. 

Com o mercado de renda variável, que sofreu muito desde 2008, não é diferente. Em 2017 observamos este tipo de investimento ser o mais rentável do ano, com o Ibovespa batendo recorde atrás de recorde. Agora, em 2018, a marca de 80 mil pontos foi atingida. Porém, muitos ficam com a dúvida se este fato é algo pontual ou se as subidas irão continuar!

Confira o que os analistas comentam sobre o assunto:

“As perspectivas para a bolsa continuam positivas devido ao fluxo global. Diferente do que muitos falam, o Ibovespa deverá continuar subindo em grande parte pelo cenário externo e não interno”, explica André Bona, Educador Financeiro do Blog de Valor.

“O Ibovespa deve continuar na sua trajetória de recordes consecutivos, pois, além de ainda não estar corrigido em relação as perdas com a inflação, depois da crise que estamos saindo, as empresas tornaram-se muito mais eficientes. Assim, fica mais fácil passar por novas crises e isso traz credibilidade para o investidor estrangeiro, mesmo após o rebaixamento do Brasil. Enquanto uns comemoram o novo recorde nominal da bolsa, outros choram com o derretimento do Bitcoin”, explica Fernando Marcondes, Planejador Financeiro do Grupo GGR.

Se compararmos o salto do preço médio das ações em outros momentos de recuperação ainda tem bastante espaço para o Ibovespa valorizar. Além disso, a queda da taxa de juros ajuda a fomentar a economia e consequentemente os investimentos nas empresas, o que impulsiona o seu crescimento. Outro fator é a expansão da economia de diversos países de forma sincronizada, junto a expectativa de valorização da commodities”, explica Daniela Casabona, Assessora de Investimentos.

“Os Ibovespa deverá bater mais recordes em função de dois únicos motivos: Queda dos juros no Brasil e cenário global aquecido”, afirma Pedro Paulo Silveira, Economista-Chefe da Nova Futura Investimentos.

“Eu acredito que não há motivo claro nenhum para a bolsa subir como está subindo. Ainda há muita incerteza política quanto a eleição e mais ainda, quanto a questão da reforma da previdência, que é essencial para a economia do país. Os indicadores demonstram uma melhora de cenário, mas nada que realmente fosse capaz de fazer a bolsa bater um novo recorde. Na minha visão continua sendo cada vez mais um momento de cautela”, dispara Pedro Coelho Afonso, Chefe de Operações da Gradual Corretora.

“Os investidores estrangeiros estão entrando na bolsa brasileira, mas é ano de volatilidade dos mercados, em função das reformas da previdência que precisam ser aprovadas e as eleições no final do ano. Teremos meses de incerteza pela frente”, explica Vicente Koki, Analista-Chefe da DMI Group.

(Redação - Investimentos e Notícias)