IRPF 2019: Entenda como declarar empréstimos no Imposto de Renda

  •  
IRPF 2019: Entenda como declarar empréstimos no Imposto de Renda Foto: Divulgação IRPF 2019: Entenda como declarar empréstimos no Imposto de Renda

Até dia 30 de abril, os trabalhadores brasileiros precisam acertar as contas com o leão, enviando a declaração do Imposto de Renda 2019, documento que inclui todos os gastos e receitas que o contribuinte teve ao longo do ano.

Atualmente, o número de brasileiros que terminam o mês no "vermelho" é grande e, por isso, muitos recorrem a empréstimos. Mas, como declarar o crédito pessoal no IR?

Segundo Rafael Pereira, CEO da Rebel, plataforma online de empréstimo pessoal, é preciso declarar crédito superior a R$5 mil. A regra é aplicável para dívidas com instituições financeiras, amigos e familiares.

"Ao entrar no programa de declaração do Imposto de Renda, o contribuinte precisa clicar na aba de 'Dívidas e Ônus Reais'. Lá é preciso especificar qual o tipo de empréstimo que possui", conta Pereira. As opções disponibilizadas no sistema são: estabelecimento bancário comercial, sociedade de crédito, financiamento e investimento, outras pessoas jurídicas, pessoas físicas, empréstimos contraídos no exterior e outras dívidas e ônus reais.

"Quando o empréstimo for concedido por bancos ou outras instituições de crédito, ele precisa ser discriminado. Neste caso, além do valor da dívida, é preciso informar, também, o nome e CNPJ da empresa fornecedora do crédito", explica o CEO da Rebel.

Já para quem pegou dinheiro emprestado com pessoas próximas, é importante ter os dados de quem fez o empréstimo. Nesta situação, o contribuinte precisa informar o valor da dívida, o nome completo de quem emprestou e o CPF da pessoa. "Quem emprestou o dinheiro para amigos e familiares também precisa incluir a transação no IR. Essa informação deve ser inserida no campo 'Bens e Direitos' e é preciso inserir dados sobre o empréstimo, como valor, nome da empresa ou pessoa que fez o empréstimo", completa Pereira.

O financiamento também é considerado como uma forma de empréstimo e deve ser declarado no Imposto de Renda. Para isso, é preciso informar dados como o valor da dívida, o prazo do financiamento, nome e CNPJ da empresa por trás da movimentação.

(Redação - Investimentos e Notícias)