Cuidados antes de antecipar a restituição do IR

  •  
Cuidados antes de antecipar a restituição do IR Foto: Divulgação

Antecipar a restituição do Imposto de Renda, embora possa parecer a salvação para as finanças, é uma atitude perigosa se não for tomada com cautela. Afinal, o contribuinte pode acabar na malha fina e ter que arcar com o empréstimo do próprio bolso.

Além de considerar os juros, é preciso ter certeza de que a declaração entregue está inteiramente correta. É válido se atentar as possibilidades para aumentar a dedução, lembrando que é preciso se organizar, separar os documentos com antecedência para que possa justificar tudo o que está declarando. É válido buscar o máximo de informação possível sobre o serviço e/ou procurar um especialista contábil para evitar problemas.

 

É claro que o adiantamento do valor pode ajudar nas contas, no entanto, o que muitas pessoas não entendem é que, além de correrem riscos, estão apenas remediando um problema. Precisar dessa quantia já é uma prova de que as coisas não vão bem e que está faltando educação financeira. Caso contrário, não estariam precisando antecipar o recebimento de algum dinheiro para honrar com um compromisso que não conseguiu pagar com o seu próprio orçamento.

Sendo assim, a recomendação é que, antes de tomar qualquer decisão, se realize um diagnóstico financeiro, para saber dos ganhos mensais e para onde está indo cada centavo do dinheiro, podendo, dessa maneira, identificar o que exatamente precisa ser resolvido, ou seja, quais despesas estão sendo supérfluas que podem ser diminuídas ou até mesmo eliminadas.

Se os juros que está pagando em uma dívida forem maiores do que os da antecipação, também pode ser um bom negócio. Mas ainda assim é importante fazer uma boa pesquisa entre as instituições financeiras, uma vez que a concorrência é alta, fazendo com que as taxas cobradas variem muito. Agora, caso os juros da dívida sejam menores do que o da antecipação, o melhor é aguardar.

Reinaldo Domingos é doutor em educação financeira, presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin) e da DSOP Educação Financeira e autor do best-seller Terapia Financeira, do lançamento Diário dos Sonhos e da primeira Coleção Didática de Educação Financeira do Brasil.

(Redação - Agência IN)