SP ganha reforço de R$ 99 milhões do Ministério da Saúde

A capital paulista vai receber reforço de R$ 99 milhões para o Bloco de custeio de Média e Alta Complexidades Ambulatorial e Hospitalar (MAC). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (5) pelo ministro da Saúde, Gilberto Occhi, na prefeitura de São Paulo, em solenidade com a presença do prefeito João Doria e autoridades. Em 2017, o Ministério destinou R$ 1,3 bilhão para financiamento desses procedimentos na capital paulista.

Ministério da Saúde abre 3.592 vagas para profissionais temporários

O Departamento de Gestão Hospitalar (DGH) e o Núcleo Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro (NEMS/RJ) informam que estão abertas as inscrições para o novo processo seletivo simplificado para a contratação de 3.592 profissionais para a manutenção da força de trabalho nos hospitais federais do Andaraí, Bonsucesso, Ipanema, Lagoa, Servidores do Estado e Cardoso Fontes, além dos institutos nacionais de Cardiologia (INC) e de Traumatologia e Ortopedia (Into), todos de administração direta do Ministério da Saúde.


Os contratos terão prazo de seis meses, podendo ser prorrogados por até dois anos, a partir da primeira contratação no 5º certame. Os candidatos terão de 03/04 a 30/04/2018 para realizar a inscrição neste link.

Saúde investirá R$ 750 milhões em produção de radiofármacos

O Ministério da Saúde e a Amazônia Azul Tecnologias de Defesa (Amazul) serão parceiros no desenvolvimento do primeiro Reator Multipropósito Brasileiro (RMB). O acordo será assinado nesta terça-feira (27/03), durante a 15ª Reunião do Grupo Executivo do Complexo Industrial da Saúde (GECIS). 

Receita do Grupo Air Liquide superou os 20 bilhões de euros

A Air Liquide divulgou os resultados financeiros referentes às suas atividades em 2017. A receita do Grupo superou os 20 bilhões de euros, com crescimento de 12,2% em relação a 2016. Entre os destaques que contribuíram para esse resultado, está a conclusão do processo de integração da Airgas, indústria de gases com sede nos Estados Unidos e adquirida pela Air Liquide no final de 2015.

70% dos brasileiros não possuem plano de saúde particular

Um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com 1.500 consumidores das capitais do país revela que 70% dos brasileiros não possuem plano de saúde particular – seja ele individual ou empresarial, percentual ainda maior entre as pessoas das classes C, D e E (77%). 

Mercado de planos de saúde registra crescimento após 32 meses

Pela primeira vez em 32 meses, o mercado de saúde suplementar apresenta crescimento do número de beneficiários de planos médico-hospitalares na variação anual, segundo dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). O setor apresentou avanço de aproximadamente 64 mil novos vínculos para planos de saúde médico-hospitalares no período de 12 meses encerrados em janeiro desse ano, ultrapassando os 47,4 milhões de beneficiários. 

Não há registro confirmado de febre amarela urbana no Brasil

O Ministério da Saúde informa que não há registro confirmado de febre amarela urbana no país. O caso de febre amarela em São Bernardo do Campo (SP) está sendo investigado por uma equipe da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, o que inclui o histórico do paciente e captura de mosquitos para identificar a forma de transmissão na região. Deve ser observado que o paciente mora na região urbana, e possivelmente trabalha na área rural. Qualquer afirmação antes da conclusão do trabalho é precipitada. É importante informar que São Bernardo do Campo (SP) é uma das 77 cidades dos três estados do país (São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia) incluídas na campanha de fracionamento da vacina de febre amarela.

São Paulo vacina 94,7 mil pessoas no 1º dia da campanha

No primeiro dia da segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Amarela na cidade de São Paulo foram aplicadas 91.425 doses da vacina fracionada contra a doença. Outras 3.366 pessoas receberam a dose padrão, que é aplicada apenas em casos específicos, como para viajantes internacionais, crianças entre nove meses e dois anos e pessoas com condições clínicas especiais. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo.

Assinar este feed RSS