Caixa reduz juros da linha de capital de giro para MPEs

A CAIXA promoveu a redução de juros da linha de capital de giro para micro e pequenas empresas. Os clientes já podem contratar o produto com taxas a partir de 0,95% a.m., uma redução de 19%. O banco também ampliou o acesso ao crédito, com disponibilidade de R$ 25 bilhões em 2018. O objetivo é se posicionar como a grande parceira do setor, ofertando soluções financeiras com condições especiais, auxiliando na manutenção das atividades das empresas, com geração de emprego e renda.

BNDES oferece capital de giro a empresários paulistas

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, esteve reunido hoje (14) com empresários paulistas, na sede da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), para divulgar a linha de crédito da instituição para capital de giro – o Programa de Apoio ao Fortalecimento da Capacidade de Geração de Emprego e Renda (Progeren). A linha teve o limite orçamentário aumentado para R$ 7,7 bilhões. As novas condições passaram a valer na quarta-feira (12).

BNDES aumenta limite orçamentário de linha de capital de giro

O BNDES anunciou mudanças em sua linha de capital de giro Progeren, criada para incentivar a geração de emprego e renda. O limite orçamentário da linha foi ampliado para R$ 7,7 bi, sendo R$ 4,7 bi apenas para micro, pequenas e médias empresas. A linha passa a ser disponível também para médias-grandes e grandes indústrias da Construção Civil, envolvidas com o Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância). Para empresas deste perfil, o Progeren disponibiliza financiamentos de até R$ 150 milhões. Para as demais contratantes, o limite é de R$ 20 milhões. A taxa de juros é de 18% ao ano.

Confira três principais armadilhas financeiras enfrentadas pelas start-ups


É cada vez maior o número de jovens empreendedores no comando de empresas inovadoras. Isto acaba por incentivar outros profissionais a ir em busca de desenvolver a sua própria start-up. Porém, engana-se quem pensa que não é necessário o domínio de ferramentas básicas de finanças para empreender. Mesmo em se tratando de terceirizar tal empresa, de que forma saber se os funcionários estão atuando corretamente? E mais: como planejar o futuro desta sem conhecer minuciosamente o seu funcionamento? No fim, isto significa que não há como sobreviver no mercado por muito tempo sem estes conhecimentos.

Assinar este feed RSS