Financiamento de veículos atinge R$ 9,4 bilhões em novembro

  •  
Financiamento de veículos atinge R$ 9,4 bilhões em novembro (Foto: Divulgação) Financiamento de veículos atinge R$ 9,4 bilhões em novembro

As operações no mercado de crédito de veículos continuam registrando bons resultados. Em novembro, os bancos de montadoras e as instituições independentes liberaram R$ 9,4 bilhões, o melhor resultado do ano. Com isso, o montante liberado pelo sistema financeiro soma R$ 89,4 bilhões, o que representa uma alta de 24% em doze meses. De acordo com o boletim divulgado pela ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), o volume já ultrapassou o total atingido em 2016, que foi de R$ 80,2 bilhões.

“Esta foi a terceira vez, em 2017, que o volume concedido ultrapassou a barreira dos R$ 9 bilhões. As outras duas foram em agosto, com R$ 9,26 bilhões; e em outubro, com R$ 9,23 bilhões. Isso comprova que havia uma demanda muito reprimida. Cauteloso, o consumidor aguardou pela redução da taxa de juros e por uma maior estabilidade do cenário econômico para ir às compras”, analisa o presidente da ANEF, Luiz Montenegro.

“Os números comprovam isso. O volume registrado em novembro foi 2,2% superior ao alcançado em outubro e 28,4% maior que o mesmo mês de 2016”, explica.

Dos R$ 9,4 bilhões concedidos às operações de CDC, R$ 8,2 bilhões foram destinados às pessoas físicas e o restante, R$ 1,2 bilhão, às jurídicas. Já para os contratos de leasing foram liberados R$ 152 milhões, queda de 5% na comparação com outubro, e de 21,6% em doze meses. O maior volume, de R$ 119 milhões, foi disponibilizado para as empresas, enquanto as pessoas físicas receberam R$ 33 milhões. No acumulado do ano, a carteira de leasing somou R$ 1,6 bilhão, recuo de 13,1% na comparação com o valor registrado no ano passado.

A retomada dos negócios reflete também no aumento do saldo das carteiras. Em novembro, o total foi R$ 168,1 bilhões, volume 1,3% superior ao registrado no mês anterior, e 3,3% maior na comparação com o mesmo período do ano passado. As operações de CDC respondem por R$ 164,4 bilhões, o que representa um aumento de 1,4% na comparação com outubro, e de 3,9%% em doze meses. Os R$ 3,7 bilhões restantes referem-se ao leasing – mesmo volume registrado em outubro. O resultado, contudo, é 17,8% inferior ao obtido no mesmo período de 2016.

O saldo de crédito para a aquisição de veículos para pessoas físicas e jurídicas corresponde a 2,6% do PIB (Produto Interno Bruto), mesmo índice registrado em novembro do ano passado. Esse montante representa 5,5% do total do crédito do SFN (Sistema Financeiro Nacional) e 10,8% do total das operações de crédito – Recursos Livres.

Em novembro, o índice de inadimplência nos contratos de financiamento firmados pelas pessoas físicas manteve o nível registrado no mês anterior, de 3,8%. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o recuo é de 0,9 ponto percentual. Entre as pessoas jurídicas, o índice foi de 2,9%, queda de 0,1 ponto percentual em relação a outubro, e de 2,3 pontos percentuais em doze meses.

Na carteira de leasing, o índice de pessoas físicas que deixaram de quitar os seus negócios foi de 2,4%, índice 0,2 ponto percentual menor ao alcançado em outubro, e 1,5 ponto percentual inferior ao registrado no mesmo período de 2016. Entre as empresas, a taxa foi de 2,1%, mesmo percentual registrado no mês anterior, porém 2,1 ponto percentual menor em doze meses.

As taxas de juros praticadas pelos bancos de montadoras, em novembro, foram de 19,2% ao ano e de 1,47% ao mês. Já as instituições financeiras independentes trabalharam com índices de 22,1% e 1,68%, respectivamente. O prazo médio das concessões é de 42,5 meses. Já o prazo máximo oferecido pelos bancos é de 60 meses.

(Redação – Investimentos e Notícias)