São Paulo registra crescimento de usuários de planos de saúde

O número de beneficiários de planos de saúde no Estado de São Paulo aumentou no último ano. Os dados são referentes ao mês de fevereiro e foram disponibilizados nesta sexta-feira (05) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). No período, SP apresentou o maior aumento absoluto de usuários de planos médico-hospitalares no país: 136,8 mil novos convênios.

 

Bovespa fecha com pequena alta de 0,40%

O Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, fechou o pregão nesta quinta-feira (21) em alta de 0,40%, aos 96.932,27 pontos. O volume financeiro somou R$ 16.209 bilhões.

 

Ford anuncia fechamento da planta de São Bernardo do Campo, em SP

Como parte da ampla reestruturação de seu negócio global, a Ford Motor Company anuncia que deixará de atuar no segmento de caminhões na América do Sul. Como consequência, a empresa encerrará as operações de manufatura na fábrica de São Bernardo do Campo (SP) ao longo de 2019 e deixará de comercializar as linhas Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta assim que terminarem os estoques.

Varejo paulista encerra 2018 com leve alta na geração de empregos formais

O comércio varejista no Estado de São Paulo segue trajetória de alta pelo quinto mês consecutivo. Em dezembro, 3.965 empregos formais foram criados, resultado de 74.426 admissões contra 70.461 desligamentos. Foi o melhor saldo para dezembro desde 2007, quando se iniciou a série histórica. Com esse desempenho, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 2.101.748 vínculos empregatícios, o maior nível de empregos desde janeiro de 2016, leve alta de 0,6% em relação a dezembro de 2017. No acumulado de 2018, o saldo também foi positivo (12.539 vagas).

Pesquisa mostra queda da inadimplência da taxa de condomínio em São Paulo

Um levantamento realizado no estado de São Paulo pela empresa de gestão condominial e negócios imobiliários Auxiliadora Predial aponta que o número de inadimplência da taxa de condomínio caiu no ano passado, na comparação com 2017. A empresa analisou os dados de, aproximadamente, 300 condomínios administrados por ela. Entre os condôminos que atrasaram o pagamento em até 30 dias, a queda foi 6,80%. Para quem ficou devendo até dois meses, a diferença foi ainda maior, de 13,46%. Já para quem ficou três meses sem pagar o valor da taxa, a inadimplência reduziu em 12,58%.

Assinar este feed RSS