ANBIMA reduz projeção do PIB de 2019 para 2,6%

O Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) revisou para baixo a projeção de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) de 2019. Dos 2,8% apontados na reunião anterior do grupo, realizada em dezembro de 2018, a estimativa passou para 2,6%.

 

  • Publicado em Economia

Economia brasileira vai crescer 2,8% em 2018, avalia economista da FGV IBRE

Para Marcel Balassiano, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), a economia brasileira em 2018 deve crescer mais do que em 2017. Para o especialista, o ano representou a saída da recessão – a pior da história do Brasil. "A economia vai crescer 2,8% em 2018, de acordo com as projeções do FGV IBRE. 

  • Publicado em Economia

ANBIMA revisa projeção do IPCA de agosto para 0,53%

O Comitê de Acompanhamento Macroeconômico da ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) revisou para cima a projeção do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para agosto, que passou de 0,25% para 0,53%. Para setembro, a projeção foi de 0,35%.

Projeção de instituições financeiras para inflação sobe para 7,56% este ano

A projeção de instituições financeiras para a inflação este ano continua a subir. No sexto ajuste seguido, a projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) passou de 7,26% para 7,56%. Para 2017, a estimativa sobe por quatro semanas consecutivas. Desta vez, passou de 5,80% para 6%, de acordo com o boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com base em projeções de instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.

Mercado financeiro eleva projeção de inflação para 9%, em 2015

Instituições financeiras consultadas todas as semanas pelo Banco Central (BC) esperam que a inflação, este ano, chegue a 9%. A estimativa anterior era 8,97%. Essa foi a 11ª elevação seguida na estimativa e alcançou a projeção do próprio BC, divulgada na semana passada. Para 2016, a estimativa segue em 5,50%, há seis semanas consecutivas.

Indústria gráfica prevê queda na projeção para este ano

Em relação aos três primeiros meses do ano, a produção física do segundo trimestre da indústria gráfica brasileira caiu 1,8% no segundo trimestre. Em comparação com o mesmo período do ano passado, o resultado aponta uma queda de 9,9%. Os dados foram elaborados pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) com base na Pesquisa Industrial Mensal do IBGE, e têm alcance nacional. O segmento, atento aos riscos de novas retrações, reviu para baixo a projeção para o ano. “Prevíamos queda de 1,7% na produção anual, mas acreditamos que o recuo deve atingir 3,5%”, afirma o presidente nacional da Abigraf, Levi Ceregato.

Assinar este feed RSS