Brasil fecha 118.776 postos de trabalho em março, diz Caged

O Brasil teve a maior perda de vagas formais para meses de março em 25 anos, segundo dados divulgados hoje (22) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho. No mês passado, o país fechou 118.776 postos de trabalho com carteira assinada.

Agropecuária gera 24.4 mil postos em julho

Dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) em julho, divulgados nessa sexta-feira (21) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), demonstram que a Agropecuária, com geração de 24.465 postos, um crescimento de 1,51%, continuou gerando empregos pelo quarto mês seguido, tendo apresentado o melhor resultado do período, desde 2010. No conjunto de todos os setores foram perdidos em julho 157.905 postos de trabalho, equivalente ao declínio de 0,39% em relação ao estoque do mês anterior, resultado de 1.397.393 admissões contra 1.555.298 desligamentos. No ano, a redução alcançou 1,20%, correspondendo à perda de 494.386 postos de trabalho.

 

Empresas de TI podem fechar 150 mil postos de trabalho

O Senado deve votar, a partir de agosto, o Projeto de Lei 57/2015, já aprovado na Câmara dos Deputados, que altera a política de desoneração da folha de pagamento com aumento da alíquota sobre o faturamento de empresas de vários setores da economia.

Bancos já cortaram 3.600 empregos este ano

Nos primeiros sete meses de 2014, as instituições bancárias já cortaram 3.600 empregos. Enquanto os bancos privados e o Banco do Brasil eliminaram postos de trabalho, a Caixa Econômica Federal abriu 1.595 novas vagas no mesmo período. Os dados são da Pesquisa de Emprego Bancário (PEB), divulgada hoje (22) pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que faz o estudo em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), com base nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho.

Geração de empregos foi a mais baixa para maio nos últimos 22 anos

A geração de empregos formais em maio deste ano foi a mais baixa para o mês nos últimos 22 anos – pouco mais de 58 mil postos de trabalho, resultado de 1.849.591 admissões e 1.790.755 demissões. Os números estão no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego divulgado hoje (24). Saldo pior do que esse foi registrado em maio de 1992, com a criação de 21,5 mil empregos.

Assinar este feed RSS