Indústria Paulista gera 9,5 mil novos postos de trabalho em abril

A geração de emprego na indústria paulista somou 9,5 mil novos postos de trabalho em abril, variação positiva de 0,45% na série sem ajuste sazonal e negativa em 0,21% feito o ajuste. No acumulado do ano, o saldo segue positivo em 21,5 mil postos. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (15/05) pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Supermercados paulistas abrem quase seis mil postos de trabalho em novembro

Após um primeiro semestre com abertura de postos de trabalho abaixo do esperado, o setor supermercadista vem mantendo o bom desempenho e, pelo quarto mês consecutivo, registrou aumento no número de empregos. Em outubro, os supermercados paulistas criaram 5.938 vagas, conforme dados divulgados pelo CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e analisados pela APAS – Associação Paulista de Supermercados. Este é o terceiro melhor novembro para a série desde 2011.

 

  • Publicado em Economia

Indústria paulista gera 6,5 mil postos de trabalho em janeiro, mostra Fiesp

Depois de perder 518 mil postos de trabalho nos últimos três anos, a indústria paulista registrou saldo positivo de 6.500 vagas em janeiro, variação positiva de 0,31% na comparação com dezembro de 2016, sem ajuste sazonal. Na comparação com o mês anterior, com ajuste sazonal, o valor foi -0,24%. O resultado positivo do mês é o primeiro registrado desde abril de 2015, quando foram feitas 6.000 contratações. Já na análise de janeiro deste ano contra o mesmo mês do ano anterior, a variação ficou negativa em 5,73%, com demissão de 132 mil trabalhadores. Os dados são da Pesquisa de Nível de Emprego do Estado de São Paulo, feita pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp e do Ciesp (Depecon), divulgada nesta quinta-feira (16/2).

Varejo de materiais de construção de SP perde 621 vagas em novembro

O varejo de materiais de construção da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) apresentou mais um saldo negativo na movimentação do mercado de trabalho. Novembro do ano passado contou com uma redução de 621 vagas formais. O resultado se agravou na comparação com o mês anterior, no qual 259 postos de trabalho foram extintos, segundo estudo do departamento de Economia do Sincomavi. Em relação ao mesmo mês de 2015, o balanço também se mostrou negativo, pois houve naquele período o corte de 549 vínculos empregatícios – número menor ao obtido em 2016. No saldo acumulado do ano, de janeiro a novembro de 2016, o resultado se revela ainda mais impactante: eliminação de 3.454 empregos com carteira assinada no setor.



Perda de postos de trabalho recua em julho, aponta CAGED

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), divulgado mensalmente pelo Ministério do Trabalho, demonstram que o emprego formal em julho continuou sua trajetória de recuo de perda de postos de trabalho. No mês foram -94.724 postos de trabalho, equivalente ao declínio de 0,24% em relação ao estoque do mês anterior.

Setor de serviços paulista elimina quase 6,7 mil postos de trabalho em maio

Em maio, pelo terceiro mês consecutivo, o setor de serviços do Estado de São Paulo diminuiu seu estoque de trabalhadores formais. Foram extintos 6.696 postos de trabalho, resultado de 171.769 admissões e 178.465 desligamentos. Com isso, o estoque ativo atingiu 7.407.903 trabalhadores, o menor patamar desde julho de 2013, quando 7.406.716 estavam empregados. O saldo registrado em maio foi o segundo pior para o mês desde o início da série histórica, em 2007, ficando atrás apenas do observado no ano passado.

Assinar este feed RSS