Cofecon mostra a armadilha dos juros na economia brasileira

O Conselho Federal de Economia (Cofecon) exorta a diretoria do Banco Central do Brasil, por ocasião da 191ª reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), em 2 e 3 de junho próximos, a encerrar a trajetória de aumento da taxa básica de juros (Selic).

Presidente da ACSP comenta o resultado do PIB

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), comenta o resultado do PIB no primeiro trimestre, divulgado hoje pelo IBGE.

Queda do PIB trimestral confirma fragilidade da economia, diz FecomercioSP

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avalia a retração de 0,2% do PIB brasileiro no primeiro trimestre como a confirmação da fragilidade da economia brasileira. O resultado também reforça a preocupação quanto à gravidade dos efeitos dos desequilíbrios macroeconômicos internos e a relutância e demora para a tomada de medidas de ajustes necessárias. Apesar da queda do PIB para o trimestre ter sido prevista pelos especialistas, a rapidez e a profundidade são preocupantes.

Governo reduz para 1% projeção de crescimento do PIB em 2016

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, revelou hoje (27) uma estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos em um país) diferente da que constava da proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2016, enviada ao Congresso em abril deste ano. O ministro apresentou projeções revistas do cenário econômico, que preveem que o PIB crescerá 1%, e não mais 1,3%, como havia sido calculado.

Crescimento do PIB em 2014 reafirma fragilidade econômica, aponta FecomercioSP

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avalia o crescimento ínfimo de 0,1% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014 como uma confirmação do atual quadro de fragilidade da economia brasileira, cujo desempenho está abaixo do observado em economias de dimensões comparáveis - e até mesmo da média de crescimento mundial. Esse foi o pior desempenho do primeiro mandato da presidente Dilma Rousseff e o mais fraco desde 2009, quando o PIB caiu 0,2%.

PIB do setor de agronegócios é estimado em 2%

Num ano de incertezas no plano econômico, o setor de agricultura e pecuária mostra um fôlego diferenciado, segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) que estima crescimento de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) desta área em 2015, o dobro da previsão da entidade para o PIB nacional (1%).

Crédito deve atingir 80,5% do PIB em 10 anos

 Estudo encomendado pelo Instituto GEOC, que reúne 16 das principais empresas de cobrança do Brasil, revela que mesmo que o país não volte a crescer a passos largos nos próximos anos, o crédito vai continuar em expansão.

  • Publicado em Crédito

Nova base de cálculo será usada para medir PIB no quarto trimestre

O ano de referência usado para calcular a variação do Produto Interno Bruto (PIB) será alterado e novas fontes de dados serão consideradas já na medição do indicador do quatro trimestre deste ano. A informação foi divulgada hoje (28) pelo coordenador de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Roberto Olinto.

Assinar este feed RSS