Crescimento do varejo não cobre perdas trazidas pela pandemia, analisa ACSP

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou hoje, 8, que o comércio varejista nacional cresceu 13,9% em maio comparado a abril. Segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), apesar de os números indicarem o início de uma recuperação, os dados ainda mostram insuficiência em relação às perdas desde o início da pandemia do novo coronavírus.

 

Multinacionais da América e Europa sofrem perdas desde 2010

A FTI Consulting, Inc. (NYSE:FCN), consultoria empresarial global dedicada a ajudar organizações a proteger e aumentar o seu valor, anuncia os resultados do Risk Research Project 2015 (O que as empresas estão fazendo de certo e errado nos mercados emergentes), pesquisa com 150 participantes de empresas multinacionais na América no Norte e Europa, conduzido para identificar os maiores obstáculos aos negócios nos mercados emergentes (inclusive o Brasil).

Aumenta o índice de perdas no varejo brasileiro

As perdas nas atividades de comercialização de bens associadas a roubos, furtos e problemas operacionais é de 2,31% do faturamento líquido das empresas varejistas brasileiras. Essa é a principal conclusão de trabalho divulgado pelo Instituto Brasileiro de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR). O estudo foi realizado pelo PROVAR em parceria com a Academia de Varejo.

Assinar este feed RSS