Preço da gasolina comum varia 100,3% em abril, aponta ValeCard

Depois de uma variação de apenas 37,2% durante o mês de março, os preços da gasolina comum parecem ter sofrido uma grande alteração novamente. Agora em abril, o combustível teve uma oscilação de 100,3%, de acordo com levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas. Os postos credenciados à marca espalhados pelo País apresentaram preços que iam de R$ 3,49 – em estados como Pernambuco, Bahia e Rio Grande do Norte – a R$ 6,99 por litro no Amazonas.

Preço da gasolina variou 138,3% em fevereiro, aponta levantamento da ValeCard

No mês de fevereiro, que marcou o período pré-carnaval e as viagens principalmente para o litoral, foi registrada uma variação significativa no preço da gasolina comum: no período, o combustível oscilou 138,3% por postos de todo o Brasil. A informação é do levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas. Os postos credenciados à marca espalhados pelo País apresentaram preços que iam de R$ 2,90 – nas cidades de Aracaju (SE) e Abrantes (BA) – a R$ 6,91 por litro em Fernando de Noronha (PE).

Preço da gasolina tem queda de 4,7%, aponta Ticket Log

Os cortes de preços nas distribuidoras continuaram a se refletir em queda no valor dos combustíveis nos postos de todo o País em dezembro, revela o Índice de Preços da Ticket Log (IPTL). A exceção foi o gás veicular natural (GNV), que, pelo segundo mês consecutivo, registrou alta de 1,4% na média nacional. No balanço do ano, o preço do combustível foi o que mais sofreu variação, com média de 13,86%, seguido do etanol, com média de 12,68%.

Preços da gasolina têm queda e GNV registra alta

Os cortes de preços nas distribuidoras refletiram em queda no preço dos combustíveis nos postos brasileiros, em novembro, é o que revela o Índice de Preço da Ticket Log (IPTL). A exceção foi o Gás Veicular Natural (GNV), que registrou alta de 3,41% na média de todo o País.

  • Publicado em Economia

Preço da gasolina cai 3% nos postos de toda a Região Sudeste

A tão esperada baixa nos preços dos combustíveis chegou aos postos da Região Sudeste. O levantamento de novembro do Índice de Preços Ticket Log revela uma redução média de 1% para o diesel e o etanol, e de 3% para a gasolina, com o litro comercializado a R$ 4,661. Em São Paulo, a economia foi ainda maior, a gasolina saiu da média de R$ 4,599 para R$ 4,400.

  • Publicado em Economia

Preço da gasolina varia 115% no Brasil em novembro

Após muitas pessoas notarem um aumento nos preços da gasolina no Brasil nos últimos meses, novembro registrou quedas nos valores em diferentes estados. Apesar disso, habitantes de algumas regiões ainda tiveram que enfrentar o alto custo com o combustível. De acordo com levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em soluções de gestão de frotas, postos de Pernambuco chegaram a cobrar R$ 7,29 no litro da gasolina comum – maior valor registrado no mês. Pelo País, o menor preço encontrado foi de R$ 3,39, o que leva a uma variação de 115%.

  • Publicado em Economia

Preço da gasolina ultrapassa R$ 7 em alguns estados

Assim como em setembro, quando a gasolina comum chegou aos R$ 7,00 por litro no Amazonas, os valores do combustível continuaram surpreendendo os brasileiros no mês passado. Levantamento realizado pela ValeCard, empresa especializada em gestão de frotas, apontou que o preço da gasolina comum apresentou uma variação de, aproximadamente, 128% neste mês em postos de diferentes estados e o litro chegou a ser cobrado por R$ 7,29 em Pernambuco. O menor preço registrado foi de R$ 3,20.

  • Publicado em Economia

Gasolina tem recorde de preço

Cinco dias após o último aumento no preço da gasolina, a Petrobras acaba de anunciar que a partir de amanhã (5), nas refinarias de todo o país, o preço do derivado estará 1,68% mais caro. Com o novo aumento, o preço do litro da gasolina passará de R$ 1,1704, que vigorava desde o último sábado (1º), para R$ 2,2069. É o valor mais alto cobrado pelo preço do litro da gasolina desde junho do ano passado, quando a Petrobras mudou a política de preços e passou a acompanhar as oscilações do preço da commoditie no mercado externo.

Assinar este feed RSS