Emprego formal cresce em agosto e gera 110.431 novas vagas no Brasil

O emprego apresentou novamente crescimento no Brasil. O mês de agosto fechou com +110.431 novas vagas no mercado formal, um acréscimo de +0,29% em relação ao mês anterior. Esse desempenho foi resultado de 1.353.422 admissões e de 1.242.991 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos no país também aumentou e chegou a 38.436.882 vínculos.

Emprego fica estável em junho e fecha 1º semestre com 392,4 mil novas vagas

O emprego formal se manteve estável em junho no Brasil. Foram registradas no mês 1.167.531 admissões e 1.168.192 desligamentos, que resultaram em um saldo de -661 vagas. No acumulado do ano, o saldo ficou positivo em +392.461 empregos, um crescimento de 1,04% em relação ao primeiro semestre de 2017. Se considerados os saldos dos últimos 12 meses (julho de 2017 a junho de 2018), o resultado também é positivo. Foram criados +280.093 postos formais, 0,74% a mais do que no período anterior. Com isso, o estoque de empregos no país ficou em 38,21 milhões.

Comércio atacadista de SP encerra 938 empregos formais em maio

Em maio, o setor de atacado no Estado de São Paulo admitiu 13.518 profissionais com carteira assinada, porém o número de desligamentos foi maior: 14.456. Tal cenário culminou no fechamento de 938 postos formais de trabalho no mês. Ainda que essa seja a nona queda consecutiva, o resultado é melhor do que o apontado em períodos anteriores, com a extinção de 1.517 empregos em regime CLT, em abril deste ano, e 1.034 em maio do ano passado.

Jovens empreendedores não abririam mão do seu negócio por um emprego formal

O jovem empreendedor brasileiro é autoconfiante, valoriza a independência profissional e não pensa em abrir mão da própria empresa pela estabilidade de um emprego com carteira assinada. Segundo uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), seis em cada dez (57,7%) empreendedores com idade entre 18 e 34 anos não aceitariam trocar a atividade que desempenham em suas empresas por um emprego formal que pagasse um salário compatível com o mercado, somado aos demais benefícios previstos pela CLT. Outros 23,0% dos entrevistados até aceitariam a proposta, mas tentariam conciliar o novo emprego com a sua empresa e apenas 3,7% concordariam em abandonar a vida de empresário para virar um trabalhador assalariado.

Varejo paulista elimina mais de 13 mil vagas de emprego formal, aponta FecomercioSP

Em fevereiro, o comércio varejista no Estado de São Paulo eliminou 13.365 empregos com carteira assinada, resultado de 68.581 admissões e 81.946 desligamentos. Com isso, o estoque de trabalhadores do varejo paulista atingiu 2.096.588 no mês, o patamar mais baixo desde julho de 2012, quando estava em 2.082.953. Trata-se do pior desempenho para o mês de fevereiro desde 2007.

Emprego formal tem maior queda em 25 anos em fevereiro, revela Caged

O agravamento da crise econômica fez fevereiro registrar a maior queda do emprego formal em 25 anos. Segundo dados divulgados há pouco pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, o país fechou 104.582 postos de trabalho com carteira assinada no mês passado.

Estoque de emprego formal recua 0,24% em abril, revela Caged

O Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged) registrou em abril um declínio de 0,24% no estoque de empregos formais no país, o que representa uma redução de 97.828 postos de trabalho, resultado de 1.527.681 admissões contra 1.625.509 desligamentos. Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (22) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, em Florianópolis (SC). Mesmo com esse número, o país gerou 5,1 milhões postos de emprego formal desde 2011 e nos últimos 12 anos foram acrescidos 20,5 milhões de postos de trabalho.

Emprego formal no varejo paulistano cresce 0,9% em novembro

O número de empregados formais no comércio varejista da região metropolitana de São Paulo cresceu 0,9% em novembro de 2014 na comparação com o mesmo mês de 2013 e atingiu a marca de 1.033.369 trabalhadores com carteira assinada. Foram 529.537 admissões e 516.404 desligamentos entre janeiro e novembro de 2014, o que representa saldo de 13.133 contrações formais no período. Somente em novembro de 2014, o saldo foi de 10.818 contratações formais - crescimento de 15,9% em relação ao mesmo mês de 2013. A Pesquisa de Emprego e Salário na Região Metropolitana de São Paulo é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego.

Assinar este feed RSS