"Apesar da alta nos juros e do pacote fiscal, o momento é de acreditar”, afirma Abigraf

Apesar das dificuldades que a indústria atravessa, decorrentes do baixo crescimento nos últimos anos, desemprego e inflação crescentes e do presumível aumento de custos em função dos ajustes fiscais anunciados pelo ministro da fazenda, Joaquim Levy, a alta de 0,5% na taxa básica de juros (Selic), anunciada hoje pelo Copom, não surpreende a indústria gráfica. 

FecomercioSP prevê que Selic pode aumentar ainda mais até o fim do primeiro semestre

Pela terceira vez consecutiva o Banco Central decidiu elevar a taxa Selic, que passou de 11,75% para 12,25%. Para a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), a alta de 0,50 ponto porcentual (p.p.) é coerente com os últimos discursos do presidente do Banco Central e reafirma as apostas do mercado em uma postura mais agressiva da autoridade monetária no combate à inflação. A FecomercioSP avalia também que a taxa pode ser reajustada novamente e, assim, atingir entre 12,50% e 13% ainda no primeiro semestre de 2015.

Copom se reúne para definir nova taxa Selic

Começa hoje (20) à tarde a primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) em 2015. O encontro definirá o patamar da Selic, taxa básica de juros da economia, pelos próximos 45 dias. O anúncio da decisão está previsto para amanhã (21). Atualmente, a taxa básica está em 11,75% ao ano, após elevações em outubro e dezembro, de 0,25 e 0,5 ponto percentual, respectivamente. 

Selic deve ter alta de 0,5 ponto percentual, prevê mercado

Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) esperam elevação de 0,5 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) marcada para amanhã (20) e quarta-feira (21). A taxa básica está em 11,75% ao ano. Com o ajuste previsto pelo mercado, ficaria em 12,25% ao ano pelos próximos 45 dias.

Ata do Copom afirma que atividade deve se recuperar no 2º semestre de 2015

Ata do Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom), divulgada nesta quinta-feira, 11, aponta que a política monetária deve contribuir para a consolidação de um ambiente macroeconômico favorável em horizontes mais longos. Nesse sentido, reitera que, no regime de metas para a inflação, orienta suas decisões de acordo com os valores projetados para a inflação pelo Banco Central e com base na análise de cenários alternativos para a evolução das principais variáveis que determinam a dinâmica dos preços.

Assinar este feed RSS