Confiança do consumidor brasileiro cai 5 pontos de janeiro a maio, aponta ACSP

O Índice Nacional de Confiança (INC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) ficou estável na passagem de abril para maio e marcou 99 pontos em ambos os meses. O indicador varia entre zero e 200 pontos, sendo o intervalo de zero a 100 o campo do pessimismo e o intervalo de 100 a 200 o do otimismo. Em janeiro, a confiança estava em 104 pontos, ou seja, tinha entrado no campo otimista.

 

Confiança do consumidor cai 9,9% em março, afirma FecomercioSP

Após avançar por sete meses seguidos, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) paulistano sofreu queda de 9,9%, ao passar de 139,4 pontos em fevereiro para 125,9 pontos em março. No comparativo anual, houve alta de 8,5%. O ICC é elaborado mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). A escala de pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total).

Confiança do consumidor cresce 10 pontos em janeiro, diz ACSP

O Índice Nacional de Confiança da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou 104 pontos em janeiro, um aumento de dez pontos em relação a dezembro (94) e de 27 frente a janeiro do ano passado, quando havia anotado 77 pontos. Além disso, é a primeira vez que chega ao campo otimista (acima dos 100 pontos) desde maio de 2015. 'É um crescimento que surpreende bastante e reflete o otimismo do consumidor com o novo governo. Contudo, como é natural que a população dê um voto de confiança grande no início dos mandatos, é preciso que o governo corresponda às expectativas, por meio de ações práticas, concretizando as promessas feitas em campanha', analisa Alencar Burti, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Confiança do consumidor brasileiro sobe 4 pontos em dezembro, aponta ACSP

O Índice Nacional de Confiança (INC) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) registrou 94 pontos em dezembro, um aumento de quatro pontos em relação a novembro (90) e de 20 frente a dezembro do ano passado (74). É a quarta alta consecutiva da pesquisa e também o maior patamar desde junho de 2015, quando o levantamento registrou 100 pontos.

  • Publicado em Economia

Confiança do Consumidor recua 6,1% em junho e atinge menor patamar em 18 meses

A recuperação econômica mais lenta que o esperado e a paralisação no setor de transportes impactaram de forma negativa o humor do consumidor brasileiro. Dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostram que houve uma queda de 6,1% no Indicador de Confiança do Consumidor no último mês de junho na comparação com maio. Com esse recuo, o indicador retrocedeu para 38,8 pontos, o que representa o mais baixo patamar desde janeiro de 2017, início da série histórica. Pela metodologia, o indicador varia de zero a 100, sendo que resultados acima de 50 pontos demonstram o predomínio de otimismo, ao passo que abaixo de 50, o que prevalece é a visão pessimista.

Consumidor paulistano está 22,5% mais confiante em março, mostra FecomercioSP

As instabilidades socioeconômica e política ainda provocam oscilação na confiança dos paulistanos. É o que mostrou o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do município de São Paulo, que registrou queda de 3,9% em março, ao passar de 113,8 pontos em fevereiro para 109,4 pontos no mês. Na comparação com março de 2016, porém, houve expressiva alta de 22,5%, o que demonstra que o humor do consumidor, no início de 2017, segue sem uma trajetória definida, mas é muito melhor do que o sentimento do ano passado. A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e a escala de pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 (otimismo total).

Confiança do consumidor paulistano volta a subir em fevereiro, aponta FecomercioSP

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) do município de São Paulo registrou alta de 11,3% ao passar de 102,2 pontos em janeiro para 113,8 pontos em fevereiro - maior pontuação registrada desde novembro de 2014, quando o ICC estava em 116,0 pontos. Na comparação com fevereiro de 2016, houve crescimento de 19,5%. A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) e a escala de pontuação varia de zero (pessimismo total) a 200 (otimismo total).

Assinar este feed RSS