Clima Econômico da América Latina piora

Após registrar um saldo positivo de 1,5 ponto em janeiro, o Indicador Ifo/FGV de Clima Econômico (ICE) da América Latina — elaborado em parceria entre o Instituto alemão Ifo e a FGV — retorna à zona desfavorável no segundo trimestre, com um saldo de -5,2 pontos. A piora do ICE foi influenciada majoritariamente pelo Indicador das Expectativas (IE), que se mantém em patamar positivo mas recuou 16,6 pontos entre janeiro e abril. Já o Indicador da Situação Atual (ISA) ficou relativamente estável em território negativo. 

Clima Econômico da América Latina melhora após 18 trimestres

Em janeiro de 2018, o Indicador de Clima Econômico da América Latina (ICE) registrou um resultado favorável pela primeira vez em 18 trimestres, segundo dados do Instituto alemão Ifo e da Fundação Getulio Vargas. O saldo de 1,5 ponto percentual (p.p.) de janeiro foi o maior desde abril de 2013 (1,6 p.p.). 

  • Publicado em Economia

Recorde de vendas de VUL na América Latina em 2017

Em linha com seu plano mundial de crescimento rentável, o “Push to Pass”, o Groupe PSA na América Latina conseguiu bater seu recorde de vendas em 2017, o primeiro ano da implementação da sua ofensiva no segmento de VUL, chegando a 44 mil unidades – um crescimento de 13% em relação a 2016.

Clima econômico da América Latina marca 99,1 pontos

O Indicador Ifo/FGV de Clima Econômico da América Latina (ICE) – elaborado em parceria entre o Instituto alemão Ifo e a FGV - avançou 26,6 pontos entre julho e outubro de 2017, para 99,1 pontos. A alta levou o indicador a ficar 10 pontos acima da média dos últimos dez anos e próximo à zona de avaliação favorável. A melhora do ICE é explicada tanto pela situação corrente quanto pelas perspectivas de curto prazo: o Indicador da Situação Atual (ISA) subiu 18,8 pontos, para 56,2 pontos, e o Indicador das Expectativas (IE) avançou 37,4 pontos, para 153,9 pontos.

Volkswagen aumenta em 52% sua participação em países da América Latina

A Volkswagen registrou um aumento de 52% na participação de mercado em países da América Latina no primeiro trimestre de 2017 (3,2% de market share), em comparação com o mesmo período de 2016 (2,1%). A região, denominada internamente de LAM, engloba 26 países, com exceção de Brasil, México e Argentina. Em números absolutos, a marca aumentou em 54% suas vendas na região, partindo de 5.310 unidades no primeiro trimestre de 2016 para 8.173 unidades nos três primeiros meses de 2017.

Adecol aumenta exportações na América Latina

Maior fabricante de adesivos industriais do País com capital 100% nacional, a indústria Adecol aumenta as exportações do seu amplo catálogo de produtos na América Latina em 2017. Resultado de um estruturado plano de internacionalização que começou a ser desenvolvido há alguns anos atrás, o crescimento da participação da empresa no continente já atinge 8% das suas vendas totais.

Assinar este feed RSS