ICOMEX: agropecuária lidera o aumento das exportações

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e o aumento no preço de algumas commodities, como o petróleo, contribuíram para o crescimento em valor de 16,6% das exportações brasileiras na comparação entre os meses de outubro de 2017 e 2018, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). O saldo da balança comercial de US$ 5,9 bilhões foi inferior ao de igual período no ano de 2017, porém um resultado chama atenção: o saldo com a China aumentou de US$ 19 bilhões para US$ 23 bilhões. Em relação aos outros dois principais parceiros, o superávit caiu de US$ 1,5 bilhões para US$ 131 milhões no comércio com os Estados Unidos e de US$ 6,6 bilhões para US$4,2 bilhões com a Argentina.

  • Publicado em Economia

ICOMEX: cresce a contribuição das commodities nas exportações

Após o valor da exportação ter aumentado 16% e o das importações 35% na comparação mensal entre agosto de 2017 e 2018, o ritmo de crescimento desacelerou para 2,1% (exportações) e 4,7% (importações), entre os meses de setembro de 2017 e 2018, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Isso ocorreu num cenário em que a desvalorização em termos reais da taxa efetiva de câmbio foi de 16% (setembro 2017/18), o que impulsionaria as exportações. 

  • Publicado em Economia

ICOMEX: volume importado cresce e o exportado recua em junho

A balança comercial registrou superávit de US$ 5,8 bilhões em junho levando a um saldo de US$ 30 bilhões no primeiro semestre de 2018, inferior em US$ 6 bilhões ao de igual período em 2017. O valor das exportações cresceu 5,7% e o das importações, 17% na comparação entre os meses de junho de 2017 e 2018.

ICOMEX: Incertezas para o resultado da balança comercial

O índice da taxa de câmbio real efetiva deflacionada pelo IPCA Brasil e os índices de preços ao consumidor dos principais parceiros do Brasil (Estados Unidos, Argentina, China, Zona do Euro, Reino Unido e Japão) valorizou continuamente entre o ano 2000 e 2014, depois desvalorizou em 23% entre 2014 e 2015 e volta a se valorizar em 13% entre 2015 e 2017, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Quando analisamos a evolução mensal do câmbio, desde janeiro de 2017, observamos que após a valorização ocorrida em 2017, o câmbio iniciou uma trajetória de desvalorização desde janeiro de 2018 e acumulou até maio um aumento de 10%.

ICOMEX: Resultados setoriais divergem

O saldo da balança comercial acumulado até fevereiro de 2018 foi de US$ 7,7 bilhões, um valor próximo ao resultado para esse mesmo período em 2017, US$7,3 bilhões, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em termos de valor, as exportações cresceram 12,9% e as importações 15,1% entre os dois primeiros bimestres de 2017 e 2018. A corrente de comércio alcançou US$ 61 bilhões, o melhor resultado desde o acumulado no ano até fevereiro de 2015.

ICOMEX: superávit da balança comercial é recorde

O superávit da balança comercial no valor de US$ 62 bilhões é o maior na série histórica do acumulado do ano até novembro. No entanto, as exportações no valor de US$ 200 bilhões estão abaixo dos valores observados entre 2011 e 2014 e as importações no valor de US$ 138 bilhões, abaixo dos valores entre 2010 e 2015.

Assinar este feed RSS