Custo da cesta básica recua em 20 capitais, aponta Dieese

Em janeiro, o custo do conjunto de alimentos essenciais diminuiu em 20 das 27 capitais do Brasil, segundo dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). As reduções mais expressivas ocorreram em Rio Branco (-12,82%), Cuiabá (-4,16%), Boa Vista (-3,94%), Campo Grande (-3,63%) e Curitiba (-2,97%). As elevações foram anotadas em algumas cidades do Norte e Nordeste: Fortaleza (4,64%), Aracaju (2,18%), Salvador (1,30%), João Pessoa (0,76%), Teresina (0,57%) e Manaus (0,18%). Em Brasília (0,22%) também houve aumento.

Valor da cesta básica aumenta em todas as capitais em 2016, aponta Dieese

Em 2016, o valor acumulado da cesta básica aumentou nas 27 capitais do país, onde o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realizou mensalmente, durante todo o ano, a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos. As maiores altas foram registradas em Rio Branco (23,63%), Maceió (20,69%) e Belém (16,70%). As menores variações ocorreram em Recife (4,23%), Curitiba (4,61%), São Paulo (4,96%) e Campo Grande (5,04%).

Custo de Vida desacelera em São Paulo, aponta Dieese

O Índice do Custo de Vida (ICV) na cidade de São Paulo desacelerou entre agosto e setembro ao passar de 0,36% para 0,03%, revela pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No acumulado do ano, o ICV indicou alta de 5,35% e, nos últimos 12 meses, de 8,08%.

Custo da cesta básica tem comportamento diferenciado nas capitais pesquisadas pelo Dieese

Em setembro, o custo do conjunto de alimentos básicos apresentou comportamento diferente entre as 27 capitais brasileiras, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Enquanto houve alta da cesta em 13 cidades, em outras 14, foi registrada redução. As maiores altas ocorreram em Brasília (2,37%), Salvador (1,46%), Fortaleza (1,42%) e Recife (1,06%). As retrações mais expressivas foram observadas em Macapá (-5,18%), Goiânia (-4,31%), Campo Grande (-1,95%) e Belo Horizonte (-1,88%).

Desemprego fica estável em 17,6% na região metropolitana de São Paulo

A taxa de desemprego na região metropolitana de São Paulo manteve-se estável em 17,6% entre maio e junho. Em junho, havia 1,99 milhão de desempregados, número que indica um acréscimo de 13 mil pessoas sobre o de maio. No período, 77 mil pessoas entraram para o mercado de trabalho, enquanto foram criadas apenas 64 mil vagas.

Índice do Custo de Vida avança 0,46% em junho em SP, segundo DIEESE

Em junho, o Índice do Custo de Vida no município de São Paulo aumentou 0,45% em comparação com maio, segundo cálculo do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Pelo segundo mês consecutivo, o índice por estrato de renda indicou que a maior alta (0,82%) foi registrada para as famílias com renda mais baixa ou pertencentes ao estrato 1. Para as famílias do estrato 3, com maior renda, o impacto foi menor: 0,26%. Já para as do estrato intermediário, a taxa foi de 0,64%.

Custo de Vida em São Paulo sobe mais para famílias de menor renda

O Índice do Custo de Vida no município de São Paulo aumentou 0,67% entre abril e maio, segundo cálculo do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. O índice por estrato de renda indicou que a maior alta foi registrada para as famílias com menor renda ou pertencentes ao estrato 1: 1,09% e menor para o estrato 3, ou para aquelas com maior renda: 0,51%. Para as famílias do estrato intermediário, a taxa foi de 0,83%.

Assinar este feed RSS