Sondagens mostram recuperação da confiança empresarial

  •  
Sondagens mostram recuperação da confiança empresarial (Foto: Pexels) Sondagens mostram recuperação da confiança empresarial

A prévia extraordinária das Sondagens de agosto da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) sinaliza indicadores caminhando em sentidos opostos no mês. Em relação ao número final de julho, o Índice de Confiança Empresarial (ICE) cresceria 5,8 pontos, para 93,3 pontos. Já o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) recuaria 3,0 pontos, para 75,8 pontos.

“Os resultados prévios de agosto sugerem continuidade do caminho de recuperação da confiança empresarial, que está apenas 2,7 pontos abaixo do patamar de fevereiro, e queda da confiança dos consumidores, que se encontra 12 pontos abaixo do período pré pandemia, que já era baixo em termos históricos. A recuperação da confiança empresarial não tem sido homogênea entre os setores, sendo mais consistente na indústria e no comércio que nos serviços e na construção. O cenário de retomada deve se manter nos próximos meses, agora em ritmo mais gradual, principalmente em função da cautela dos consumidores e pelo nível de incerteza que se mantém elevado”, afirma Rodolpho Tobler, economista da FGV IBRE.

O aumento da confiança empresarial na prévia de agosto decorre principalmente da melhora da percepção sobre a situação atual, além de melhores expectativas para o futuro. Já para os consumidores, as condições do momento presente permaneceriam estáveis, enquanto as perspectivas para os próximos meses pioraram.

O Índice de Situação Atual dos Empresários (ISA-E) subiria 8,0 pontos, para 87,7 pontos, enquanto o Índice de Expectativas Empresarial (IE-E) subiria 4,8 pontos, para 90,4 pontos. Entre os consumidores, o índice que mede a percepção sobre a situação atual (ISA-C) permaneceu em 71,0 pontos, enquanto o indicador que capta as perspectivas para os próximos meses (IE-C) cairia 5,1 pontos para 80,0 pontos.

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) consolida os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas Sondagens Empresariais produzidas pela FGV IBRE: Indústria, Serviços, Comércio e Construção.

Neste mês, todos os setores apresentariam alta da confiança, com destaque para a variação de 10,2 pontos do Comércio, que já recuperou 35,1 pontos, ou 90,9%, das perdas do bimestre março-abril. Apesar de ser a segunda maior variação mensal entre os setores, a Indústria de Transformação permanece com a maior taxa de recuperação, tanto em termos absolutos (40,4 pontos) quanto relativos (93,5%). Já Serviços e Construção continuam com ritmo de crescimento menos acelerado, com recuperação de 72,7% e 73,4%, respectivamente. Em médias móveis trimestrais, todos os setores apresentariam alta em agosto.

(Redação – Investimentos e Notícias)