Produção industrial fica próxima da estabilidade em abril

  •  
Produção industrial fica próxima da estabilidade em abril (Foto:Divulgação) Produção industrial fica próxima da estabilidade em abril

Os dados da Sondagem Industrial revelam um mês de abril de fraca atividade industrial e de redução do otimismo, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O nível de atividade permanece baixo, com elevada ociosidade do parque produtivo, e a indústria está trabalhando com estoques indesejados pelo terceiro mês consecutivo.

Nesse cenário de fraqueza da atividade econômica, os empresários estão reavaliando suas expectativas. A maioria dos índices registra queda há três meses. Ainda há otimismo, mas as perspectivas são cada vez menos positivas. A intenção de investimento também se encontra em queda.

A produção industrial em abril ficou próxima da estabilidade, na comparação com março. O índice de evolução a produção de abril alcançou 49,6 pontos, muito próximo da linha divisória de 50 pontos. Houve destruição de postos de trabalho na indústria em abril. O índice de evolução do número de empregados ficou em 48,8 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) continua inalterada, em 66% desde janeiro. O percentual de abril é o mesmo de 2018, assim como havia ocorrido em março. O percentual de abril de 2019 é inferior ao registrado no mesmo mês de todos os anos entre 2011 e 2015.

A indústria segue com bastante ociosidade. Apesar do aumento de 1,4 ponto frente a março, o índice de UCI efetiva em relação ao usual ficou em 42,4 pontos em abril, bem distante da linha divisória de 50 pontos.

O índice de evolução do nível de estoques ficou em 50,7 pontos em abril, o que revela aumento dos estoques na comparação com o mês anterior. Já o índice de nível de estoque efetivo em relação ao usual manteve-se praticamente estável pelo segundo mês consecutivo. O índice havia registrado 51,1 pontos em fevereiro, passou para 51,2 pontos no mês seguinte e em abril alcançou 51,3 pontos. Com isso, são três meses que a indústria aponta que acumula estoques em excesso.

Os índices de expectativa de demanda, compras de matérias-primas e número de empregados caíram pelo terceiro mês consecutivo, acumulando quedas de, respectivamente, 4,0 pontos, 4,3 pontos e 2,7 pontos no período. O índice de quantidade exportada havia ficado praticamente estável em abril (crescimento de 0,1 ponto), após dois meses de queda, e voltou a cair em maio.

Mesmo com a tendência de quedas, todos os índices permanecem acima de 50 pontos, ou seja, mostram expectativas otimistas.
O índice de intenção de investimento recuou 1,2 ponto em maio, para 52,5 pontos. Com a queda, a terceira consecutiva, o índice acumula recuo de 4,1 pontos desde fevereiro. O indicador é 0,3 ponto maior que o registrado em maio de 2018, e encontra-se 3,5 pontos acima da média histórica.

(Redação – Investimentos e Notícias)