Monitor do PIB aponta crescimento de 0,3% da economia no 1T18

  •  
Destaque Monitor do PIB aponta crescimento de 0,3% da economia no 1T18 (Foto: Pexels) Monitor do PIB aponta crescimento de 0,3% da economia no 1T18

O Monitor do PIB-FGV mostra resultados divergentes para o desempenho da economia no primeiro trimestre. Enquanto a economia apresentou crescimento de 0,3%, na taxa trimestral ajustada sazonalmente, com tendência de alta, a taxa trimestral interanual da atividade econômica cresceu 0,9% com trajetória de queda.

“A economia continua apresentando crescimento no primeiro trimestre de 2018, invertendo a trajetória declinante observada até o quarto trimestre de 2017, de acordo com a série com ajuste sazonal. Por sua vez, na comparação interanual, o crescimento do primeiro trimestre é menor do que o crescimento dos trimestres anteriores. Na comparação trimestral interanual desagregada, a agropecuária, após ter apresentado desempenho significativo em 2017, encerrou o primeiro trimestre de 2018 com retração. Já a indústria e serviços, apesar de apresentarem crescimento, estão com taxas menores que as anteriores, bem como os componentes de consumo das famílias e formação bruta de capital fixo, alertando para uma tendência de desaceleração”, afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

Na comparação interanual, o PIB do primeiro trimestre foi positivo em 0,9%, embora tenha apresentado desaceleração. O destaque positivo foi o crescimento das atividades de transformação (4,6%) e comércio (4,8%). Em contrapartida, a atividade agropecuária retraiu 5,2% após ter apresentado taxas de crescimento altas durante o ano de 2017. As atividades industriais de extração mineral e construção continuam apresentando retração (-1,6% e -2,5%, respectivamente). Já no setor de serviços, apenas os serviços de informação tiveram queda (-3,3%).

O consumo das famílias apresentou crescimento de 1,5% no primeiro trimestre deste ano, na comparação interanual. O único componente a continuar com trajetória ascendente é o consumo de produtos duráveis que cresceu 12,4%. Apesar disso, todos os componentes apresentaram taxas positivas, à exceção do consumo de serviços que ficou negativo (-0,7%) após cinco meses consecutivos de crescimento, nesta comparação.

A formação bruta de capital fixo (FBCF) cresceu 3,7% no primeiro trimestre, na comparação interanual.

Mesmo com o alto crescimento do componente de máquinas e equipamentos (15,3%), a FBCF voltou a ter trajetória descendente devido, principalmente, ao componente de construção que retraiu 2,4%.

A taxa de investimento (FBCF/PIB), a preços constantes, foi de 17,7% no primeiro trimestre de 2018.
A exportação apresentou retração de 4,4% no primeiro trimestre, na comparação interanual. Apesar do crescimento da exportação dos produtos agropecuários e de serviços (10,7% e 2,5%, respectivamente), a exportação de produtos da extrativa mineral segue em queda (-31,8%) no primeiro trimestre, menor taxa registrada desde o trimestre móvel findo em abril de 2008 (-35,2%), explicada, principalmente pela queda da exportação de petróleo e derivados.

A importação retraiu 0,4% no primeiro trimestre. O componente de extrativa mineral é o principal responsável pela retração da importação (-19,4%); impulsionado pela queda da importação de petróleo e derivados.

Em termos monetários, o PIB em valores correntes alcançou a cifra de aproximadamente 1 trilhão, 674 bilhões, 285 milhões de Reais no acumulado do primeiro trimestre de 2018.