Mercado financeiro reage a nomeação de novos ministros

  •  
Mercado financeiro reage a nomeação de novos ministros Foto: Divulgação Mercado financeiro reage a nomeação de novos ministros

Mais dois integrante foram nomeados para compor a equipe do superministro Paulo Guedes. O economista Roberto Campos Neto, é executivo do Banco Santander, e o Mansueto Almeida, já secretário do Tesouro Nacional.

Roberto deve comandar o Banco Central, que é entre outras atribuições, responsável pelo controle da inflação no país. Caberá a ele conduzir as políticas monetárias, de crédito, e de relações financeiras com o exterior, além de supervisionar o Sistema Financeiro Nacional, administrar o Sistema de Pagamentos Brasileiro e serviços do meio circulante.

“O economista Roberto Campos Neto foi indicado pelo governo eleito para suceder Ilan Godlfajn na presidência do Banco Central (BC). E Mansueto Almeida permanecerá como Secretário do Tesouro Nacional. Ambos os nomes foram confirmados por Paulo Guedes e sugerem continuidade da política econômica atual. O BC manterá seu compromisso com as metas inflacionárias e deve aprofundar a concorrência bancária, bem como sua independência formal. Já o ajuste fiscal continuará a ser capitaneado por Mansueto. Roberto Campos Neto é atualmente executivo da tesouraria do Banco Santanter. É formado em Economia e possui MBA em finanças pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Tem atuado no mercado financeiro desde 1996 e colaborou com o plano econômico de Bolsonaro. Seu nome deve ser apreciado pela CAE do Senado Federal em breve, seguindo daí para a Câmara dos Deputados. Enquanto isso, Ilan Goldfajn, que está de férias até dia 20, permanecerá no cargo.” comenta Daniel Xavier, Economista-Chefe da DMI Group.

“Ontem foram oficializados os nomes de Roberto Campos Neto para o BC e de Mansueto de Almeida para o Tesouro. Hoje foi sinalizada a manutenção de Carlos Viana na diretoria do BC, pelo Broadcast. Esses economistas garantem à equipe econômica, junto com Joaquim Levy, no BNDES, um perfil alinhado com a agenda preferida pelo mercado. Esses nomes sinalizam que o novo governo já começa com gente que está familiarizada com os, detalhes importantes para o funcionamento da economia e dos principais processos que são necessários para ajustar o déficit público e para manter a política monetária em estado de eficiência. A credibilidade da política monetária junto ao mercado ganha um importante suporte com essas nomeações” ressalta Pedro Paulo Silveira, Economista-Chefe da Nova Futura Investimentos.

“Mercado reage bem, e isso já vem acontecendo desde a confirmação ontem, quando os papéis brasileiros negociados em NY tiveram alta de mais de 2%. O Roberto Campos é visto como um nome técnico e que tende a dar continuidade ao trabalho de Ilan e Henrique Meirelles, além de ter boa interlocução com o mercado financeiro por estar há 16 anos no Santander” explica Fernando Bergallo, Diretor de Câmbio da FB Capital.

(Redação - Investimentos e Notícias)