Mercado de trabalho no varejo paulista cresce

  •  
Mercado de trabalho no varejo paulista cresce (Foto:Divulgação) Mercado de trabalho no varejo paulista cresce

Em setembro, o comércio varejista no Estado de São Paulo voltou a abrir novos postos de trabalho pelo segundo mês consecutivo. No período, foram criados 3.554 empregos formais, resultado de 72.620 admissões e 69.066 desligamentos. Foi o melhor saldo para setembro desde 2013. Com esse desempenho, o setor encerrou o mês com um estoque ativo de 2.067.721 de vínculos empregatícios, leve alta de 0,1% em relação ao mesmo mês do ano passado. No acumulado de 12 meses, o saldo voltou a ficar positivo após quatro meses de baixas, com 1.764 vagas abertas.

Os dados compõem a Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP Varejo), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

No comparativo anual, quatro das nove atividades analisadas apontaram crescimento do estoque de empregados em relação ao mesmo mês do ano anterior, com destaque para os segmentos de farmácias e perfumarias (2%) e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (1,9%). Por outro lado, os setores de lojas de vestuário, tecidos e calçados (-2%), lojas de móveis e decoração (-1%) e materiais de construção (-1%) sofreram as maiores quedas na mesma base comparativa.

De acordo com a assessoria econômica da FecomercioSP, após impactos negativos da greve dos caminhoneiros entre maio e julho, o varejo paulista realmente retoma seu processo de geração de vagas neste segundo semestre.

Para a Entidade, o período alcançou bom resultado em virtude da injeção de parte do décimo terceiro salário de aposentados e pensionistas e da preparação das atividades para o Natal. Além disso, as permanências de uma inflação reduzida e queda nos juros e a melhoria gradual no nível do emprego parecem consolidar um cenário de sustentação quanto ao consumo das famílias, refletindo nas vendas e também nos investimentos em mão de obra formal.

Varejo paulistano

O varejo da capital criou 965 vagas com carteira assinada em setembro, resultado de 22.525 admissões contra 21.560 desligamentos. No acumulado dos últimos 12 meses, 610 vagas foram abertas. O comércio varejista paulistano encerrou o mês com um estoque total de 648.480 trabalhadores ativos. O número de vagas criadas em setembro foi o maior em comparação às demais regiões.

Na comparação com setembro de 2017, entre as nove atividades pesquisadas, cinco sofreram retração no estoque de empregos celetistas, com destaque para os segmentos de materiais de construção (-2,1%) e lojas de móveis e decoração (-1,1%).

Por outro lado, quatro setores obtiveram crescimento no estoque de empregados, com destaque para os setores de farmácias e perfumarias (2,9%) e de eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamentos (1,4%).

(Redação – Investimentos e Notícias)