Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados

  •  
Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados (Foto: Pexels) Indústria recua em oito dos 15 locais pesquisados

Em julho de 2019, na série com ajuste sazonal, oito dos 15 locais pesquisados mostraram taxas negativas, acompanhando o recuo (-0,3%) da indústria nacional, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Os recuos mais acentuados foram no Amazonas (-6,2%) e em Pernambuco (-3,9%), com o primeiro local interrompendo dois meses consecutivos de alta, período em que acumulou crescimento de 2,6%; e o último marcando o terceiro resultado negativo seguido e acumulando perda de 8,6%. A região Nordeste (-2,6%), Rio Grande do Sul (-2,4%), Ceará (-1,5%), São Paulo (-1,4%) e Bahia (-1,3%) também recuaram abaixo da média nacional (-0,3%), enquanto Santa Catarina (-0,3%) completou o conjunto de locais com índices negativos em julho.

Por outro lado, Rio de Janeiro (6,8%) e Mato Grosso (5,5%) apontaram os avanços mais elevados nesse mês, com o primeiro local eliminando a redução de 5,8% verificada no mês anterior; e o segundo recuperando a perda de 3,8% acumulada nos meses de maio e junho últimos. As demais taxas positivas foram assinaladas por Paraná (2,0%), Goiás (1,7%), Espírito Santo (1,7%), Pará (0,5%) e Minas Gerais (0,3%).

Ainda na série com ajuste sazonal, a média móvel trimestral da indústria recuou 0,4% no trimestre encerrado em julho de 2019, frente ao nível do mês anterior, e manteve a trajetória predominantemente descendente iniciada em agosto de 2018. Em termos regionais, ainda em relação a este índice, nove dos quinze locais pesquisados apontaram taxas negativas. Os recuos mais acentuados foram em Pernambuco (-2,9%), Região Nordeste (-1,5%), Bahia (-1,3%), São Paulo (-1,2%), Amazonas (-1,2%), Santa Catarina (-1,1%) e Ceará (-1,1%). Já os maiores avanços foram no Pará (16,4%) e Rio de Janeiro (2,8%).

(Redação – Investimentos e Notícias)