Indústria mostra fôlego em abril, mostra CNI

  •  
Indústria mostra fôlego em abril, mostra CNI (Foto: Divulgação) Indústria mostra fôlego em abril, mostra CNI

Os Indicadores Industriais de abril indicam que a indústria retomou sua recuperação, embora esse processo seja lento e ainda esteja longe de ser concluído, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Após os ajustes sazonais, a maior parte dos indicadores de atividade industrial mostra alta na passagem de março para abril.

O faturamento real da indústria cresceu 1,5% em abril, na comparação com o mês anterior, depois de descontados os efeitos sazonais. A alta é mais do que suficiente para compensar a queda sofrida em março.

Dessa forma, o faturamento real encontrasse em nível 12,2% superior ao registrado há doze meses. No acumulado do primeiro quadrimestre deste ano, o faturamento mostra avanço de 6,9%, frente ao mesmo período de 2017. Resultados que confirmam a tendência de alta do faturamento industrial.

O emprego industrial apresentou crescimento de 0,1%, entre março e abril de 2018, na série dessazonalizada. Esse é o oitavo mês seguido com resultado positivo, acumulando alta de 1,5%, no período.

Na comparação com abril de 2017, o emprego aumentou 1,4%. Já na comparação dos quatro primeiros meses deste ano com os mesmos meses do ano passado, esse crescimento foi de 0,7%.

As horas trabalhadas na produção subiram 2,2% em abril, na série livre de influências sazonais, a maior alta desde janeiro de 2016. Com esse resultado, as quedas de fevereiro e março foram revertidas. Na comparação anual, as horas trabalhadas na produção também mostram crescimento: 4,4%, entre abril de 2018 e 2017, e 1,6%, entre o primeiro quadrimestre de 2018 e o mesmo período de 2017.

A massa salarial real dos trabalhadores da indústria caiu 0,4% em abril de 2018, na série dessazonalizada. Esse resultado interrompe uma sequência positiva de três meses. Na comparação com abril de 2017, contudo, a massa salarial real aumentou 0,5%. Na comparação do primeiro quadrimestre de 2018 com o de 2017, também se nota crescimento, de 1,8%.

O rendimento médio real dos trabalhadores da indústria caiu 0,4% em abril de 2018, na série dessazonalizada. Esse resultado também interrompe uma sequência positiva de três meses. Na comparação com abril de 2017, o rendimento médio real mostra retração de0,9%. Entretanto, na comparação do primeiro quadrimestre de 2018 com o de 2017, observa-se alta, de 1,1%.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) recuou 0,1 ponto percentual (p.p.) entre março e abril de 2018 e, assim, alcançou 78,1%, na série livre de efeitos sazonais. Mesmo com a queda, o percentual de utilização da capacidade é o segundo maior desde julho de 2015. O resultado é 1,6 p.p. acima do registrado em abril de 2017 e a UCI média do primeiro quadrimestre de 2018 é 1,2 p.p. superior ao registrado no primeiro quadrimestre de 2017.

(Redação – Investimentos e Notícias)