Indústria cresce em 12 dos 15 locais em agosto, mostra IBGE

  •  
Indústria cresce em 12 dos 15 locais em agosto, mostra IBGE (Foto: Pexels) Indústria cresce em 12 dos 15 locais em agosto, mostra IBGE

Em agosto, a produção industrial de 12 dos 15 locais pesquisados teve taxas positivas frente a julho, na série com ajuste sazonal, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

De acordo com o IBGE, o maior avanço foi no Pará (9,8%), o terceiro consecutivo, acumulando ganho de 18,2% no período. Seis locais cresceram acima da média nacional (3,2%): Santa Catarina (6,0%), Ceará (5,7%), Rio Grande do Sul (5,2%), Amazonas (4,9%), São Paulo (4,8%) e Rio de Janeiro (3,3%). Região Nordeste (3,0%), Paraná (2,9%), Mato Grosso (2,6%), Goiás (1,2%) e Bahia (0,9%) também tiveram altas em agosto. Já as quedas foram em Pernambuco (-3,9%) Espírito Santo (-2,7%) e Minas Gerais (-0,4%).

Com a alta de 3,2% na atividade industrial nacional, de julho para agosto de 2020, na série com ajuste sazonal, houve resultados positivos em 12 dos 15 locais pesquisados, refletindo o retorno gradual à produção, após as paralisações devido à pandemia da COVID19.

O Pará (9,8%) teve o maior aumento, sua terceira taxa positiva consecutiva e acumulando ganho de 18,2% nesse período. Santa Catarina (6,0%), Ceará (5,7%), Rio Grande do Sul (5,2%), Amazonas (4,9%), São Paulo (4,8%) e Rio de Janeiro (3,3%) também mostraram avanços acima da média nacional.

Região Nordeste (3,0%), Paraná (2,9%), Mato Grosso (2,6%), Goiás (1,2%) e Bahia (0,9%) completaram o conjunto de locais com índices positivos nesse mês.

Por outro lado, Pernambuco (-3,9%) e Espírito Santo (-2,7%) apontaram as maiores quedas em agosto de 2020, com o primeiro interrompendo três meses seguidos de crescimento na produção, período em que acumulou ganho de 40,3%; e o segundo voltando a recuar após avançar 28,1% em julho último. Minas Gerais, com variação de negativa de 0,4%, também mostrou redução na produção nesse mês.

No acumulado do ano, frente a 2019, houve redução em 12 dos 15 locais pesquisados, com destaque para Espírito Santo (-18,9%), Ceará (-14,8%) e Amazonas (-13,7%).

Rio Grande do Sul (-12,4%), Santa Catarina (-11,9%) e São Paulo (-11,1%) também registraram taxas negativas mais acentuadas do que a média nacional (-8,6%), enquanto Paraná (-8,5%), Minas Gerais (-7,9%), Bahia (-7,7%), Região Nordeste (-6,9%), Mato Grosso (-2,3%) e Pará (-1,9%) completaram o conjunto de locais com quedas nesse indicador.

Os três locais em alta foram Rio de Janeiro (2,4%), Goiás (1,8%) e Pernambuco (0,9%).

(Redação – Investimentos e Notícias)