Indústria brasileira de bicicletas registra melhor setembro desde 2011

  •  
Indústria brasileira de bicicletas registra melhor setembro desde 2011 Foto: Divulgação

De acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira, 11, pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares - Abraciclo, no mês de setembro, a produção das fabricantes de bicicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus - PIM atingiu 110.895 unidades.

O volume aferido representa alta de 35,9% na comparação com o mesmo mês de 2018 (81.590 unidades) e atingiu o patamar de melhor mês de setembro desde 2011, quando foram produzidas 81.239 unidades.

Em relação a agosto houve redução de 4,8% (116.525 unidades). Já no acumulado de janeiro a setembro foram produzidas 703.739 unidades, correspondendo a um crescimento de 21,7% ante as 578.449 bicicletas fabricadas no mesmo período do ano passado.

A projeção da entidade é do segmento produzir 857 mil unidades ainda este ano, o que significará uma alta de 10,8% na comparação com 2018 (773.641 unidades).

A categoria de bicicletas urbanas foi a mais fabricada em setembro, com 47.204 unidades. O volume foi 32,5% superior na comparação com o mesmo mês de 2018 (35.614 unidades) e 16,2% inferior em relação a agosto deste ano (56.297 unidades).

A região Sudeste foi a que recebeu o maior volume de bicicletas produzidas no PIM de janeiro a setembro deste ano, registrando 57,1% de participação. Na sequência, vieram Sul (16,8%), Nordeste (11,9%), Norte (8,8%) e Centro-Oeste (5,4%).

Além disso, segundo dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, em setembro, foram importadas 5.824 bicicletas em todo o território nacional. A China obteve o maior volume (4.395 unidades e 75,5% de participação). Na sequência, vieram Taiwan (689 unidades e 11,8%) e Vietnã (292 unidades e 5%).

Também a partir de dados do portal Comex Stat analisados pela Abraciclo, de janeiro a setembro as exportações de bicicletas brasileiras somaram 10.178 unidades, correspondendo a uma alta de 10,9% na comparação com o mesmo período do ano passado (9.181 unidades). A Argentina foi a maior importadora das bicicletas brasileiras, com 3.778 unidades e 37,1% de participação no total. Em seguida, vieram o Chile (2.679 unidades e 26,3%) e o Paraguai (1.939 unidades e 19,1%).

(Redação - Investimentos e Notícias)