Indicador Antecedente fica estável em julho

  •  
Indicador Antecedente fica estável em julho (Foto: Pexels) Indicador Antecedente fica estável em julho

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, publicado pelo FGV IBRE e pelo The Conference Board (TCB) ficou estável entre junho e julho, em 114,6 pontos. Três das oito séries componentes recuaram, com destaque para o Índice de Expectativas da Indústria que caiu 3,7%. Das outras cinco séries que compõem o IACE, o Ibovespa foi o que mais contribuiu positivamente, ao variar 8,9% no mês.

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE, FGV/TCB) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais, recuou 0,1%, no mesmo período.

“Em julho, o ambiente de incerteza continuou a afetar o IACE e o ICCE. As questões fiscal e política, do lado interno, e a instabilidade financeira aliada à perspectiva de conflitos comerciais pelo lado externo vêm contribuindo para a deterioração tanto da situação atual quanto das expectativas”, afirma Paulo Picchetti (FGV IBRE). “A falta de perspectiva de solução destas questões no futuro próximo reforça ainda mais a fragilidade da modesta recuperação do nível de atividades”, diz Picchetti.

Para finalizar, o Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

(Redação – Investimentos e Notícias)