ICOMEX: Resultados setoriais divergem

  •  
ICOMEX: Resultados setoriais divergem (Foto: Divulgação) ICOMEX: Resultados setoriais divergem

O saldo da balança comercial acumulado até fevereiro de 2018 foi de US$ 7,7 bilhões, um valor próximo ao resultado para esse mesmo período em 2017, US$7,3 bilhões, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em termos de valor, as exportações cresceram 12,9% e as importações 15,1% entre os dois primeiros bimestres de 2017 e 2018. A corrente de comércio alcançou US$ 61 bilhões, o melhor resultado desde o acumulado no ano até fevereiro de 2015.

A similaridade nos valores dos saldos comerciais não se repete quando analisada a composição pelos principais grupos. No caso das exportações, a principal contribuição para o aumento das exportações entre os dois primeiros bimestres de 2017 e 2018 coube às manufaturas com percentual de 90%. O resultado foi influenciado pela exportação de uma plataforma de petróleo em fevereiro, mas mesmo excluindo esse item, as manufaturas contribuíram com 84%. Entre 2016 e 2017, mesmo período, a liderança foi dos produtos básicos, com contribuição de 72%. 

No caso das importações, a principal diferença foi o desempenho das importações de bens de capital que passaram de uma contribuição negativa (2016/17) para uma contribuição positiva (11%) entre os dois primeiros bimestres de 2017 e 2018. Esse resultado confirma a expectativa de melhora no crescimento econômico para o presente ano. 

“Apesar dos resultados similares entre os dois primeiros bimestres de 2017 e 2018 esperamos que ao longo do ano o saldo comercial tenda a recuar com a retomada do crescimento econômico, embora se mantenha a previsão de um superávit comercial ao redor de US$ 50 bilhões” segundo Lia Valls. 

(Redação – Investimentos e Notícias)