IBGE prevê alta de 1,9% na safra de grãos

  •  
Destaque IBGE prevê alta de 1,9% na safra de grãos (Foto: Pexels) IBGE prevê alta de 1,9% na safra de grãos

Em janeiro, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2019 foi estimada em 230,7 milhões de toneladas, 1,9% acima da safra de 2018 (mais 4,2 milhões de toneladas) e 1,2% inferior ao obtido no 3º Prognóstico (menos 2,7 milhões de toneladas), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a área a ser colhida é de 62,1 milhões de hectares, 2,0% maior que a de 2018 (mais 1,2 milhão de ha) e 0,1% menor que o 3º prognóstico (menos 62,7 mil ha).

O arroz, o milho e a soja representam 93,3% da estimativa da produção e respondem por 87,4% da área a ser colhida. Em relação a 2018, houve aumento de 3,6% na área do milho, 2,0% na área da soja e queda de 6,6% na área de arroz. Já na produção, ocorreram quedas de 2,6% para a soja, de 5,0% para o arroz e acréscimo de 9,9% para o milho. Entre as unidades da federação, o Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos, com uma participação de 26,0%, seguido pelo Paraná (16,0%) e Rio Grande do Sul (14,8%). Somados, esses três estados representaram 56,8% do total nacional.

A produção de cereais, leguminosas e oleaginosas apresentou a seguinte distribuição regional: Centro-Oeste (101,0 milhões de toneladas); Sul (77,5 milhões de toneladas), Sudeste (23,1 milhões de toneladas); Nordeste (18,9 milhões de toneladas) e Norte (9,3 milhões de toneladas). Em relação a 2018, ocorreram aumentos de 1,2% na Região Centro-Oeste, de 4,0% na Região Sul, de 0,8% na Região Sudeste, de 3,8% na Região Norte, e queda de 1,6% na Região Nordeste.

Destaques na estimativa de janeiro de 2019 em relação a dezembro

Em janeiro, destacaram-se as variações nas seguintes estimativas de produção em relação a dezembro: uva (7,7%), feijão 3ª safra (7,3%), feijão 2ª safra (5,7%), sorgo (4,1%), algodão herbáceo (2,2%), milho 2ª safra (2,0%), batata-inglesa 2ª safra (1,5%), milho 1ª safra (-0,1%), mandioca (-3,1%), soja (-3,4%), feijão 1ª safra (-3,7%), tomate (-4,7%) e batata-inglesa 1ª safra (-6,9%).

Com relação à variação absoluta, os destaques positivos ficaram com o milho 2ª safra (1,2 milhões de toneladas), o algodão herbáceo (113,4 mil toneladas), a uva (97,2 mil toneladas), o sorgo (90,6 mil toneladas), o feijão 2ª safra (61,1 mil toneladas), o feijão 3ª safra (34,2 mil toneladas) e a batata-inglesa 2ª safra (17,7 mil toneladas). Enquanto isso, os destaques negativos couberam à soja (menos 4,0 milhões de toneladas), à mandioca (637,1 mil toneladas), à batata-inglesa 1ª safra (123,6 mil toneladas), ao tomate (212,1 mil toneladas), ao feijão 1ª safra (49,4 mil toneladas) e ao milho 1ª safra (27,1 mil toneladas).

(Redação – Investimentos e Notícias)