Economia volta a crescer lentamente no segundo trimestre

  •  
Economia volta a crescer lentamente no segundo trimestre (Foto: Pexels) Economia volta a crescer lentamente no segundo trimestre

O Monitor do PIB-FGV aponta, nas séries dessazonalizadas, crescimento de 0,2% do PIB no segundo trimestre, na comparação com o primeiro, revertendo a queda de 0,1% observada no primeiro trimestre. No mês de junho, o indicador aponta crescimento de 0,7% da economia, em comparação a maio.

Na comparação interanual a economia cresceu 0,7% no segundo trimestre, o que manteve o crescimento da taxa acumulada em 12 meses em 0,9%, mesma variação observada no primeiro trimestre do ano.

“O crescimento de 0,2% da economia neste segundo trimestre, segundo o Monitor do PIB-FGV, põe a economia de volta a trajetória de crescimento que havia se perdido no primeiro trimestre. Entre os três grandes setores, a agropecuária e a indústria apresentam taxas negativas, salvando-se os serviços que já apresenta taxas positivas há dez trimestres. Na comparação contra o mesmo trimestre do ano anterior, o crescimento é fraco, mas positivo como já ocorre desde o quarto trimestre de 2016. Os dados mostram que, apesar do crescimento, a economia ainda não consegue se expandir a taxas mais robustas” afirma Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV.

O crescimento de 0,2% da economia observado no segundo trimestre, em comparação ao primeiro, mostra uma melhora da tendência da atividade econômica, que vinha recuando desde o quarto trimestre de 2018. Esse crescimento é explicado pelo desempenho do setor de serviços, único dos três grandes setores de atividade a apresentar crescimento neste trimestre (0,3%). Pela demanda, o consumo das famílias cresceu 0,7%, décimo crescimento consecutivo deste componente, e a formação bruta de capital fixo voltou a crescer (2,3%), após dois recuos consecutivos.

Em termos monetários, o PIB em valores correntes alcançou a cifra de aproximadamente 3 trilhões, 469 bilhões, 059 milhões de Reais no acumulado do 1º semestre do corrente ano.

A taxa de investimento (FBCF/PIB) foi de 17,2%, em junho, na série a valores de 1995.

(Redação – Investimentos e Notícias)