Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril, segundo Boa Vista

  •  
Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro ainda apresenta elevação de 1,5% em 12 meses, enquanto o segmento Não Financeiro inverteu a tendência e registrou queda de 5,2% na mesma base de comparação.   O resultado de abril confirma o fim da trajetória de estabilidade do ritmo de crescimento que a demanda por crédito vinha apresentando nos últimos meses, refletindo uma piora na avaliação sobre o crescimento da economia e o mercado de trabalho.  O desempenho do indicador foi influenciado pelos dois segmentos, com destaque para a segunda queda mensal consecutiva do setor Financeiro que antes costumava apresentar sólidas taxas de crescimento. Ademais, com as adversidades provocadas pela pandemia do novo coronavírus, espera-se uma piora nas perspectivas sobre o consumo e o mercado de trabalho nos próximos meses, fatores que podem continuar afetando negativamente a demanda por crédito nesse período. Foto: Divulgação Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro ainda apresenta elevação de 1,5% em 12 meses, enquanto o segmento Não Financeiro inverteu a tendência e registrou queda de 5,2% na mesma base de comparação. O resultado de abril confirma o fim da trajetória de estabilidade do ritmo de crescimento que a demanda por crédito vinha apresentando nos últimos meses, refletindo uma piora na avaliação sobre o crescimento da economia e o mercado de trabalho. O desempenho do indicador foi influenciado pelos dois segmentos, com destaque para a segunda queda mensal consecutiva do setor Financeiro que antes costumava apresentar sólidas taxas de crescimento. Ademais, com as adversidades provocadas pela pandemia do novo coronavírus, espera-se uma piora nas perspectivas sobre o consumo e o mercado de trabalho nos próximos meses, fatores que podem continuar afetando negativamente a demanda por crédito nesse período.

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo e registrou queda de 2,5%.

Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro ainda apresenta elevação de 1,5% em 12 meses, enquanto o segmento Não Financeiro inverteu a tendência e registrou queda de 5,2% na mesma base de comparação.

O resultado de abril confirma o fim da trajetória de estabilidade do ritmo de crescimento que a demanda por crédito vinha apresentando nos últimos meses, refletindo uma piora na avaliação sobre o crescimento da economia e o mercado de trabalho.

O desempenho do indicador foi influenciado pelos dois segmentos, com destaque para a segunda queda mensal consecutiva do setor Financeiro que antes costumava apresentar sólidas taxas de crescimento. Ademais, com as adversidades provocadas pela pandemia do novo coronavírus, espera-se uma piora nas perspectivas sobre o consumo e o mercado de trabalho nos próximos meses, fatores que podem continuar afetando negativamente a demanda por crédito nesse período.

(Redação - Investimentos e Notícias)