Confiança de Serviços avança em outubro

  •  
Destaque Confiança de Serviços avança em outubro (Foto: Pexels) Confiança de Serviços avança em outubro

O Índice de Confiança de Serviços (ICS) subiu 0,9 ponto em outubro, ao passar de 87,4 para 88,3 pontos, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 0,3 ponto, mantendo o sinal positivo pelo terceiro mês consecutivo. 

“A melhora da confiança das empresas de serviços em outubro tem como traço principal o fato de, pela primeira vez desde fevereiro passado, todos os quatro indicadores que compõem o índice-síntese terem avançado frente ao mês anterior. O perfil anterior era de oscilação na curva de confiança, que traduzia uma estabilidade nas avaliações sobre a situação corrente e um ajuste (para baixo) nas perspectivas sobre os meses seguintes. Essa disseminação no sinal positivo dos indicadores no mês, pode estar relacionada à proximidade da definição do cenário político atuando na redução da incerteza no âmbito das empresas e também dos consumidores. De todo modo, vale observar que o índice de confiança ainda se situa numa faixa abaixo dos 90 pontos, o que caracteriza um contexto de moderado pessimismo”, analisa Silvio Sales, consultor da FGV IBRE.

O avanço do índice de confiança, que impactou 6 das 13 principais atividades pesquisadas, foi influenciado tanto pelos indicadores da situação atual quanto pelo de expectativas. O Índice da Situação Atual (ISA-S) subiu 0,8 ponto em outubro, para 85,9 pontos. A maior contribuição à alta do ISA-S foi dada pelo indicador que mede o grau de satisfação com o volume de demanda atual, que avançou 1,0 ponto no mês, para 85,8 pontos.

Já o Índice de Expectativas avançou 1,1 ponto em outubro, para 91,1 pontos, impulsionado majoritariamente pelo indicador que mede o otimismo em relação à situação dos negócios nos seis meses seguintes, que subiu 2,0 pontos, para 93,5 pontos, o maior nível desde abril deste ano (95,6 pontos).

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) do setor de Serviços subiu 0,3 ponto percentual (p.p.) em outubro, para 82,2%.

Ímpeto de Emprego mantém tendência positiva

Em que pese o recuo observado na passagem de setembro para outubro, após três meses de elevação, o indicador que mede a intenção de contratação das empresas do setor nos próximos três meses manteve a trajetória positiva na série de média móvel trimestral. As estatísticas quantitativas sobre o mercado formal de serviços, produzidas com base no CAGED, confirmam essa fase de discreta reação na geração de novos postos de trabalho, neste que é o setor que mais emprega na economia. Em setembro, segundo o CAGED, foram criados mais de 137 mil novos empregos com carteira assinada, 44% dos quais pelo setor de serviços.

(Redação – Investimentos e Notícias)