Cesta básica na capital paulista custou R$ 424,36 em dezembro de 2017, segundo Dieese

  •  
Cesta básica na capital paulista custou R$ 424,36 em dezembro de 2017, segundo Dieese Foto: Divulgação Cesta básica na capital paulista custou R$ 424,36 em dezembro de 2017, segundo Dieese

Em dezembro, a cesta básica na capital paulista custou R$ 424,36, o segundo maior valor entre as 21 cidades onde o DIEESE realiza a pesquisa. Houve elevação de 0,27% em relação a novembro. Em 2017, os gêneros alimentícios tiveram queda de -3,31% e, em 2016, a cesta variou 4,96%.

Em 2017, sete produtos tiveram redução de preço: feijão carioquinha (-42,99%), açúcar refinado (-17,94%), banana (-17,08%), farinha de trigo (-14,56%), leite integral (-9,04%), arroz agulhinha (-6,45%) e batata (-2,09%). O preço do óleo de soja não variou.

Já as altas ocorreram no valor do pão francês (1,98%), da carne bovina de primeira (3,46%), do tomate (7,42%), do café em pó (10,80%) e da manteiga (17,34%).

Entre novembro e dezembro, houve alta nos seguintes produtos: óleo de soja (0,29%), pão francês (0,35%), açúcar refinado (0,41%), carne bovina de primeira (1,45%) e banana (2,14%). O preço do tomate não variou e outros sete itens tiveram redução: batata (-5,75%), feijão carioquinha (-2,12%), café em pó (-1,21%), arroz agulhinha (-1,02%), farinha de trigo (-0,90%), leite integral (-0,89%) e manteiga (-0,11%).

Em dezembro de 2017, o trabalhador paulistano remunerado pelo salário mínimo comprometeu 99 horas e 38 minutos da jornada mensal para adquirir os gêneros essenciais.

Em novembro, a jornada foi menor, já que eram necessárias 99 horas e 22 minutos. Em relação a dezembro de 2016, o tempo comprometido foi maior, de 109 horas e 43 minutos.

Quando comparados o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, a relação foi de 49,23%, em dezembro de 2017, e de 49,10%, em novembro último. Em dezembro de 2016, o percentual era de 54,21%.

O valor médio da cesta básica paulistana em 2017 foi de R$ 434,88, o que correspondeu a uma redução de -4,73% em relação a 2016 (R$ 456,48). A jornada média de um trabalhador remunerado pelo salário mínimo para a aquisição dos produtos foi de 102 horas e 11 minutos, menor que a registrada em 2016, quando ficou em 114 horas e 12 minutos. Já o percentual do salário mínimo total comprometido com a compra da cesta paulistana foi de 46,41%, em 2017, e de 51,87%, em 2016.

(Redação - Investimentos e Notícias)