Brasil cria quase 100 mil vagas de trabalho em novembro

  •  
Brasil cria quase 100 mil vagas de trabalho em novembro Foto: Divulgação

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em novembro, o saldo na geração de empregos com carteira assinada foi positivo.

O oitavo mês consecutivo apontou que o Brasil teve 99.232 vagas de trabalho, sendo o resultado de 1.291.837 admissões e 1.192.605 desligamentos no período. No acumulado do ano, de acordo com o Caged, foram criados 948.344 empregos com carteira assinada.

Os números, divulgados nesta quinta-feira, 19, pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, mostra, ainda, o estoque total de empregos de 39,3 milhões, superior aos 38,7 milhões registrados em novembro de 2018.

Além disso, outro destaque é a modalidade de trabalho intermitente, que teve mais de 11 mil contratações no mês.

Em relação às regiões do país, o Sudeste teve destaque, com a criação de 51.060 novas vagas. Na região Sul foram 28.995 novos postos, enquanto o Nordeste registrou 19.824 vagas. Na região Norte foram 4.491, sendo que a região Centro-Oeste foi a única a obter saldo negativo em 5.138 postos.

Das 27 unidades da federação, 21 tiveram variação positiva. São Paulo representou o maior saldo positivo, com a geração de 23.140 novos postos. Em seguida vieram Rio de Janeiro, com 16.922, e Rio Grande do Sul com 12.257.

Entre os setores, o Comércio foi o que se destacou, responsável pela geração de 106.834 novos postos - a maioria (100.393) no Comércio Varejista. Além dele, os setores de Serviços e Serviços Industriais de Utilidade Pública também registraram números positivos, com 44.287 e 419 novos postos de trabalho, respectivamente.

Apresentaram saldo negativo os setores da Indústria de Transformação (-24.815 postos), Agropecuária (-19.161 postos), Construção Civil (-7.390 postos), Administração Pública (-652 postos) e Extrativa Mineral (-290 postos).

O salário médio de admissão nacional foi de R$ 1.592,26 e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.795,16.

Na comparação com novembro de 2018, houve crescimento de 0,96% para o salário médio de admissão e de 3,08% para o salário de desligamento, considerando os termos reais (mediante deflacionamento pelo INPC).

Os dados do Caged mostram que em novembro houve 15.754 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado. Entre os setores econômicos, os desligamentos ocorreram principalmente em Serviços (8.147), Comércio (3.635) e Indústria de Transformação (2.452).

Já na modalidade de trabalho intermitente foram 17.686 admissões e 6.332 desligamentos, gerando um saldo positivo de 11.354 empregos.

O Comércio teve o maior número (6.311). No setor de Serviços foram 3.136 e na Construção Civil 973. As principais ocupações foram assistente de vendas (2.657), atendente de lojas e mercados (1.082) e repositor de mercadorias (979).

Por fim, no regime de tempo parcial, o saldo em novembro ficou 2.122 empregos. Foram 6.635 admissões e 4.513 desligamentos, sendo que os setores que mais contrataram nessa modalidade foram Comércio (1.170), Serviços (856) e Indústria da Transformação, com 46 vagas.

(Redação - Investimentos e Notícias)