BC reduz a taxa Selic para 3,00% ao ano

  •  
BC reduz a taxa Selic para 3,00% ao ano Foto: Divulgação

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, por unanimidade, reduzir a taxa Selic para 3,00% a.a.

 

Em sua 230ª reunião, o Copom analisou que no cenário externo, a pandemia da Covid-19 está provocando uma desaceleração significativa do crescimento global, queda nos preços das commodities e aumento da volatilidade nos preços de ativos.

Com isso, o ambiente para as economias emergentes segue desafiador, com saída de capitais significativamente superior à de episódios anteriores.

Além disso, o BC também apontou que, em relação à atividade econômica, dados mensais disponíveis até o mês de março repercutem de forma parcial os efeitos da pandemia sobre a economia brasileira. Indicadores de maior frequência e tempestividade, referentes ao mês de abril, mostram que a contração da atividade econômica será significativamente superior à prevista na última reunião do Copom.

Vale lembrar que as expectativas de inflação para 2020, 2021 e 2022 apuradas pela pesquisa Focus encontram-se em torno de 2,0%, 3,3% e 3,5%, respectivamente.

No cenário híbrido, com trajetória para a taxa de juros extraída da pesquisa Focus e taxa de câmbio constante a R$5,55/US$, as projeções do Copom situam-se em torno de 2,4% para 2020 e 3,4% para 2021. Esse cenário supõe trajetória de juros que encerra 2020 em 2,75% a.a. e se eleva até 3,75% a.a. em 2021. Esse cenário supõe ainda que o preço do petróleo (Brent) subirá cerca de 40% até o final de 2020.

Já no cenário com taxa de juros constante a 3,75% a.a., taxa de câmbio constante a R$5,55/US$ e a mesma premissa para o preço do petróleo, as projeções situam-se em torno de 2,3% para 2020 e 3,2% para 2021.

O BC alerta que o nível de ociosidade pode produzir trajetória de inflação abaixo do esperado. Esse risco se intensifica caso a pandemia provoque aumentos de incerteza. "Por outro lado, políticas fiscais de resposta à pandemia que piorem a trajetória fiscal do país de forma prolongada, ou frustrações em relação à continuidade das reformas, podem elevar os prêmios de risco e gerar uma trajetória para a inflação acima do projetado no horizonte relevante para a política monetária".

Para definir os próximos passos, o Compom analisará os efeitos da pandemia, assim como uma diminuição das incertezas no âmbito fiscal.

(Redação - Investimentos e Notícias)