BC anuncia redução da taxa Selic para 2,25% ao ano

  •  
BC anuncia redução da taxa Selic para 2,25% ao ano Foto: Divulgação

O Comitê de Política Monetária (Copom) anunciou hoje, 17, que decidiu, por unanimidade, reduzir a taxa Selic para 2,25% a.a.

Segundo o BC, no cenário externo, a pandemia da Covid-19 continua provocando uma desaceleração do crescimento global. Com isso, apesar dos estímulos fiscal e monetário adotados pelas principais economias e de alguma moderação na volatilidade dos ativos financeiros, o ambiente para as economias emergentes segue desafiador.

Em relação à atividade econômica, o Copom apontou que a divulgação do PIB do primeiro trimestre confirmou a sua maior queda desde 2015, refletindo os efeitos iniciais da pandemia.

Indicadores recentes sugerem que a contração da atividade econômica no segundo trimestre será ainda maior.

O Comitê avaliou ainda, que diversas medidas de inflação subjacente se encontram abaixo dos níveis compatíveis com o cumprimento da meta para a inflação. As expectativas de inflação para 2020, 2021 e 2022 apuradas pela pesquisa Focus encontram-se em torno de 1,6%, 3,0% e 3,5%, respectivamente.

Já no cenário híbrido, com trajetória para a taxa de juros extraída da pesquisa Focus e taxa de câmbio constante a R$4,95/US$*, as projeções do Copom situam-se em torno de 2,0% para 2020 e 3,2% para 2021. Esse cenário supõe trajetória de juros que encerra 2020 em 2,25% a.a. e se eleva até 3,00% a.a. em 2021.

No cenário com taxa de juros constante a 3,00% a.a. e taxa de câmbio constante a R$4,95/US$*, as projeções situam-se em torno de 1,9% para 2020 e 3,0% para 2021.

Para o BC, o nível de ociosidade pode produzir trajetória de inflação abaixo do esperado e esse risco se intensificará caso a pandemia se prolongue

Por outro lado, políticas fiscais de resposta à pandemia que piorem a trajetória fiscal do país de forma prolongada, ou frustrações em relação à continuidade das reformas, podem elevar os prêmios de risco.

O Copom garantiu que segue atento a revisões do cenário econômico e de expectativas de inflação para os próximos período.

*Valor obtido pelo procedimento usual de arredondar a cotação média da taxa de câmbio R$/US$ observada nos cinco dias úteis encerrados no último dia da semana anterior à da reunião do Copom.

(Redação - Investimentos e Notícias)