Balança tem superávit de US$ 362 mi na 1ª semana de agosto

  •  
Destaque Balança tem superávit de US$ 362 mi na 1ª semana de agosto (Foto: Divulgação) Balança tem superávit de US$ 362 mi na 1ª semana de agosto

Na primeira semana de agosto de 2018, com 3 dias úteis, a balança comercial registrou superávit de US$ 362 milhões, resultado de exportações no valor de US$ 2,415 bilhões e importações de US$ 2,052 bilhões, segundo dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. No ano, as exportações somam US$ 138,874 bilhões e as importações, US$ 104,476 bilhões, com saldo positivo de US$ 34,398 bilhões.

Nas exportações, comparadas as médias da 1ª semana de agosto/2018 (US$ 804,9 milhões) com a de agosto/2017 (US$ 846,6 milhões), houve queda de 4,9%, em razão da diminuição nas vendas de produtos manufaturados (-13,9%, de US$ 315,8 milhões para US$ 272,1 milhões por conta de óxidos e hidróxidos de alumínio, automóveis de passageiros, açúcar refinado, tratores, veículos de carga) e semimanufaturados (-3,5%, de 121,4 milhões para US$ 117,2 milhões por conta de produtos semimanufaturados de ferro/aço, ferro-ligas, couros e peles, zinco em bruto, manteiga, gordura e óleo de cacau). 

Por outro lado, cresceram as vendas de produtos básicos (+5,7%, de US$ 390,2 milhões para US$ 412,5 milhões por conta de petróleo em bruto, minério de manganês, soja em grãos, bovinos vivos, fumo em folhas). Relativamente a julho/2018, houve queda de 22,6%, em virtude da diminuição nas vendas de produtos básicos (-30,1%, de 590,0 milhões para US$ 412,5 milhões) e manufaturados (-17,5%, de US$ 330,0 milhões para US$ 272,1 milhões), enquanto aumentaram as vendas de produtos semimanufaturados (+7,1%, de US$ 109,4 milhões para US$ 117,2 milhões).

Já nas importações, a média diária da 1ª semana de agosto/2018, de US$ 684,1 milhões, ficou 13,4% acima da média de agosto/2017 (US$ 603,4 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com siderúrgicos (+74,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (+39,7%), equipamentos mecânicos (+23,5%), adubos e fertilizantes (+20,0%), veículos automóveis e partes (+20,0%). 

Ante julho/2018, houve queda nas importações de 19,3%, pela diminuição em combustíveis e lubrificantes (-29,5%), farmacêuticos (-13,6%), extratos tanantes e corantes (-13,5%), instrumentos de ótica e precisão (-5,8%) e veículos automóveis e partes (-5,7%).

(Redação – Investimentos e Notícias)