Certificação da aviação agrícola cresce 50% neste semestre

  •  
Certificação da aviação agrícola cresce 50% neste semestre Foto: Divulgação Certificação da aviação agrícola cresce 50% neste semestre

O programa de Certificação Aeroagrícola Sustentável (CAS), que visa reduzir o potencial de impacto das aplicações aéreas no ambiente por meio do incentivo às boas práticas na aviação agrícola, tem aumentado consideravelmente o número de certificações, saltando de 50 para 74 empresas nos últimos três meses, o que representa um crescimento de 50%.

Realizado pela Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (FEPAF), e coordenado por professores da Unesp-Botucatu, Universidade Federal de Lavras e Universidade Federal de Uberlândia, o CAS também tem como apoiadores a ANDEF (Associação Nacional de Defesa Vegetal) e o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (SINDAG).

A grande aceitação do mercado ao processo de certificação tem potencializado a disseminação de informações importantes para a adesão de novas empresas, que também tem sido incentivada por meio de parcerias institucionais, como é o caso da Aprosoja (Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso), que declarou apoio ao programa.

De acordo com Ulisses Antuniassi, professor da Unesp e coordenador do programa, o objetivo principal do CAS é conscientizar pilotos e empresas de aplicação aérea da necessidade de conter os eventuais riscos ambientais existentes no trabalho de pulverização. “O princípio fundamental do CAS é promover a segurança ambiental da aviação agrícola, utilizando conceitos de boas práticas que ajudam a reduzir o risco de deriva e de possíveis impactos ambientais na aplicação aérea”.

O projeto CAS tem um ciclo de atividades de quatro anos até atingir a estabilidade, com meta de alcance de pelo menos 75% do mercado aeroagrícola. O processo de certificação é dividido em três níveis: o CAS Nível I (certificação legal das operações) já possui 28 empresas certificadas, enquanto o CAS Nível II (qualificação tecnológica da empresa) possui 45 e o último nível (CAS Nível III – conformidade com os processos de boas práticas) conta com três empresas certificadas.

(Redação - Agência IN)