Confiança da Indústria recua em junho, revela FGV

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas recuou 2,8 pontos em junho de 2017, para 89,5 pontos, o menor nível desde fevereiro passado (87,8 pontos). Na métrica de médias móveis trimestrais, o índice caiu 0,4 ponto, para 91,0 pontos, registrando a primeira queda do ano.

Confiança do Consumidor cai em junho, revela FGV

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getúlio Vargas recuou 1,9 ponto em junho, para 82,3 pontos, devolvendo a alta do mês anterior. A piora da confiança pode ser reflexo do aumento da incerteza política após 17 de maio.

Indicador Antecedente Composto da Economia recua em maio

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), recuou 0,3% entre abril e maio para 107,2 pontos (2010 = 100). Das oito séries componentes, quatro contribuíram para a queda do indicador: o Índice de Expectativas do Setor de Serviços (-0,4%), o Índice de Termos de Troca (-3,8%), o Ibovespa (-4,1%) e Índice de quantum de exportações (-4,4%).

IGP-10 registra terceira deflação, mostra FGV

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) variou -0,62% em junho, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa apurada em maio foi de -1,10%. Em junho de 2016, a variação foi de 1,42%. A taxa acumulada em 2017, até junho, é de -1,43%. Em 12 meses, o IGP-10 registrou alta de 0,08%.

IPC-C1 avança em maio

O Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1) do mês de maio apresentou variação de 0,67%, taxa 0,56 ponto percentual (p.p.) acima da apurada em abril, quando o índice registrou variação de 0,11%, segundo dados da Fundação Getulio Vargas (FGV). Com este resultado, o indicador acumula alta de 1,98%, no ano e, 3,47%, nos últimos 12 meses.

Indicador Antecedente Composto da Economia recua em abril

O Indicador Antecedente Composto da Economia(IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), recuou 0,4% entre março e abril, atingindo 107,4 pontos (2010 = 100). Das oito séries componentes, três contribuíram para a queda do indicador: o Índice de Expectativas do Consumidor e do Setor de Serviços (-4,8% e -4,5%, respectivamente) e o Índice de Termos de Troca (-1,6%).

Assinar este feed RSS