PIB no 4T19 pode apresentar alta de 0,75%, aponta MUFG

O Banco Central divulgou nesta quinta-feira, 16, os números da atividade econômica no Brasil. Segundo o BC, a atividade avançou 0,18% em novembro de 2019 com relação a outubro, na série dessazonalizada, de acordo com Índice de Atividade Econômica (IBC-Br).

  • Publicado em Economia

Governo Central registra déficit de R$ 16,8 bilhões em agosto

O Governo Central - formado por Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central - registrou déficit primário de R$ 16,852 bilhões, em agosto. Segundo os dados do governo, esse resultado foi menor do que o mesmo mês do ano passado, quando atingiu déficit de R$ 19,657 bilhões.

  • Publicado em Economia

ANBIMA reduz para 5% estimativa da Selic em 2019

A ANBIMA (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) anunciou que o Grupo Consultivo Macroeconômico da instituição reduziu pela terceira vez consecutiva a projeção da taxa básica de juros no fim deste ano, para 5%. Em junho, a ANBIMA havia anunciado que a projeção era de 5,75% e em julho havia passado para 5,25%.

  • Publicado em Economia

Indicador de Incerteza volta a subir

A Fundação Getulio Vargas (FGV) anunciou nesta quarta-feira, 28, que o Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) subiu 5,8 pontos entre julho e agosto de 2019, para 114,2 pontos. Em médias móveis quadrimestrais, o indicador recuou em 0,8 ponto.

Férias de julho movimentam varejo em 0,13%

Nas férias escolares de julho é comum muitos pais conciliarem uma folga no trabalho para passar o tempo com seus filhos, sejam viajando ou aproveitando as atrações locais da cidade. O recesso escolar movimenta o varejo e diversos setores da economia. O mercado de turismo, por exemplo, tem uma alta demanda por conta do público que aproveita a folga para viajar.

Governo revisa para 0,8% crescimento da economia em 2019

O Ministério da Economia publicou hoje (12) o boletim Macro Fiscal. De acordo com a publicação, a previsão atual é de que a inflação do país continue em queda e feche 2019 em 3,8%. Dentro da meta estabelecida e menor que os 4,1% previstos. Já para o Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de bens e serviços produzidos no país, o governo projeta um crescimento de 0,8% no ano. A estimativa anterior era de crescimento de 1,6%. Para 2020, a previsão é que o PIB cresça 2,2%.

Assinar este feed RSS