Santander lança Certificado de Operação Estruturada (COEs) atrelado à inflação

Santander lança Certificado de Operação Estruturada (COEs) atrelado à inflação  Foto: Divulgação Santander lança Certificado de Operação Estruturada (COEs) atrelado à inflação

O Santander disponibiliza aos clientes um Certificado de Operação Estruturada (COE) atrelado à alta do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Neste tipo de aplicação, que mescla renda fixa e variável em um mesmo produto, o cliente recebe o dobro da inflação acumulada no período de 2 anos. O investimento ainda garante, em um cenário de baixa inflação, rentabilidade mínima de 4,40% no período. Este COE, portanto, busca proteger o poder de compra do investidor. A aplicação mínima inicial é de R$ 15 mil e oferece a possibilidade de resgate antecipado a partir do 6º mês.

“A demanda por Certificados de Operações Estruturadas tem se mostrado consistente desde seu lançamento, em abril de 2014, e, por ter uma estrutura flexível, está caindo no gosto popular”, afirma Christiano Ehlers, superintendente executivo de Investimentos do Santander.

Em novembro do ano passado, o Banco ampliou o acesso dos COEs aos clientes do segmento Van Gogh, cuja renda mensal varia de R$ 4 mil a R$ 10 mil. “Em um cenário de queda da taxa de juros faz sentido o investidor buscar diversificar seu portfólio em busca de maior rentabilidade e os COEs são uma opção”, ressalta o executivo.

Para ter acesso ao COE, o investidor precisa passar pela Análise de Perfil do Investidor (API). Já a tributação segue as mesmas alíquotas da tabela de imposto de renda para investimentos em renda fixa.

(Redação - Agência IN)