Home Equity é a aposta do Banco Sofisa Direto

Home Equity é a aposta do Banco Sofisa Direto Foto: Divulgação Home Equity é a aposta do Banco Sofisa Direto

O atual cenário econômico brasileiro traz grandes níveis de endividamento até para pessoas de alta renda. Tanto é que, segundo relatório do Banco Central, os empréstimos de altos valores já representam cerca de R$ 3 bi no país.

Neste contexto, o Banco Sofisa Direto está apostando em uma nova tendência. Trata-se do segmento de Home Equity, linha de crédito pessoal com garantia de imóvel que permite ao cliente pessoa física obter financiamentos de valores mais altos, com a vantagem de taxas de juros muito menores (entre 1% e 2%) e maior tempo para liquidação (entre um e 15 anos).

A aposta do Sofisa Direto é amparada em uma pesquisa realizada pela própria instituição financeira, que apontou que o mercado de Home Equity, apesar de pouco conhecido no Brasil, deverá crescer muito nos próximos anos – a instituição espera movimentar entre R$ 25 milhões e R$ 40 milhões em financiamentos todo mês.

As metas da empresa para crescer e se tornar líder neste segmento são ambiciosas. No curto prazo (três meses), o objetivo é chegar a R$ 10 milhões em crédito na modalidade. Até o final do ano, a ideia é ampliar para R$ 75 milhões – totalizando mais de 400 contratos. Depois, em longo prazo, a expectativa é originar o equivalente a R$ 25 milhões por mês.

Para isso, o Sofisa Direto está reestruturando o produto Home Equity, que passa a ter um canal de relacionamento e contratação ainda mais simples e ágil com os clientes. Todo o processo é 100% online, livre de tarifas e com taxas muito agressivas – 1,39% para valores de crédito variando entre R$ 80 mil e 2 milhões (depende da avaliação do imóvel que será oferecido como garantia). Além disso, será iniciada uma forte campanha online (internet e redes sociais), trazendo para o Brasil o que existe de mais moderno nos Estados Unidos.

Segundo Leo Cherman, Head do Sofisa Direto, a empresa acredita muito no segmento de Home Equity no Brasil, uma vez que já um sucesso em países como EUA e Canadá, onde as pessoas utilizam este tipo de crédito para reformas de propriedades ou financiamentos de bens de consumo duráveis.

“No Brasil, por conta do momento econômico, enxergamos uma boa oportunidade para as pessoas conseguirem quitar dívidas altas com prestações mais baixas, taxas menores e prazos mais alongados. Também vislumbramos uma boa possibilidade para quem busca recursos para novos investimentos”, observa o executivo, que completa: “estamos iniciando a estratégia em São Paulo, onde o banco possui sua maior atuação, mas temos planos de expandir para todo o país”.

(Redação - Agência IN)