Clientes do Santander podem contratar crédito consignado na palma da mão

Clientes do Santander podem contratar crédito consignado na palma da mão Foto: Divulgação Clientes do Santander podem contratar crédito consignado na palma da mão

Clientes do Santander já podem contratar crédito consignado pelo aplicativo do Banco. O produto, também oferecido na rede de agências, chat e call center, amplia o leque de soluções disponíveis na palma da mão dos correntistas. A ideia é tornar a contratação da modalidade rápida e prática, seja qual for a necessidade do cliente, desde a compra de um bem, o planejamento de uma viagem ou mesmo para a organização das suas finanças.

Junto à oferta de crédito consignado, o Santander também possibilitará que o cliente escolha, no canal mobile, o produto de crédito mais adequado às suas necessidades, algo inédito - pela forma simples e transparente de demonstrar as opções de empréstimos. “A partir do momento em que o correntista indica o valor que quer contratar, mostramos as ofertas disponíveis, seja crédito pessoal ou consignado, com o comparativo de taxas”, explica Eduardo Jurcevic, superintendente executivo de Produtos de Crédito à Pessoa Física do Santander.

Segundo o executivo, o Banco já disponibiliza esta opção pelo aplicativo a aproximadamente 150 mil funcionários de companhias conveniadas ao Santander. No mês que vem, expandirá para 500 mil clientes e até, o fim do ano, a maior parte dos clientes terá à disposição o crédito consignado online.

“A possibilidade de o cliente contratar consignado pelo aplicativo vem em linha com a estratégia do Banco de ampliar a oferta de todos os produtos de crédito em mais um canal. Isso permitirá que o correntista tenha uma experiência inédita nos canais digitais”, destaca Jurcevic.

Vale lembrar que as taxas mínimas e máximas de juros, assim como o prazo, variam de acordo com o convênio.

O crédito consignado é uma das modalidades destinadas à pessoa física que mais crescem no Santander. O volume da carteira somou R$ 21,95 bilhões ao final do segundo trimestre, volume 31,9% maior que em igual período de 2016. Com isso, o Banco atingiu 10,9% de participação de mercado em junho, segundo dados do Banco Central (BC).

(Redação - Agência IN)