BB segue Copom e reduz juros, com destaque para o imobiliário

BB segue Copom e reduz juros, com destaque para o imobiliário Foto: Divulgação BB segue Copom e reduz juros, com destaque para o imobiliário

Novas taxas entram em vigor na próxima segunda-feira, 17

O Banco do Brasil anunciou nesta quarta-feira, 12, a terceira redução consecutiva no ano em taxas de juros para pessoas física e jurídica, como reflexo da redução da taxa básica de juros pelo Comitê de Política Monetária (Copom), de um ponto percentual, divulgada no início da noite desta quarta-feira (12).

A queda mais expressiva foi para as linhas de crédito imobiliário pessoa física nas contratações do Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e da carteira hipotecária.

A nova taxa para as operações no âmbito do SFH passa a ser de 9,99% ao ano na faixa mínima, redução de 0,81 ponto percentual na comparação com os 10,80% praticados hoje. Para a faixa superior, a nova taxa passar a ser de 10,94% ao ano, ante os 11% ao ano que o Banco cobrava até aqui. Nos financiamentos da carteira hipotecária, a taxa cai de 11,80% ao ano para 10,90% ao mês no piso; e de 12,02% para 11,99% ao ano no patamar superior. 

Ainda na pessoa física, os juros ficam mais em conta no crédito para aquisição de veículos por pessoas físicas, com redução de 1,28% ao mês para 1,23% ao mês, na faixa mínima, e de 3,86% ao mês para 3,81% ao mês no patamar máximo. O BB também reduziu os juros para o cheque especial da pessoa física: as taxas agora flutuam entre 4,31% ao mês no piso, e 12,84% ao mês no teto, ante 4,36% e 12,89% ao mês, cobrados até agora.

Reduções também para pessoas jurídicas
As taxas para pessoas jurídicas também estão mais atrativas, com redução mais significativa para as linhas do cheque ouro empresarial e giro rápido rotativo, agora em 8,38% ao mês, ante os 8,43% cobrados até então no menor patamar praticado. Na faixa superior, as taxas recuam de 13,60% ao mês para 13,55% ao mês.

O BB também passa a oferecer juros menores nas linhas para aquisição de veículos por pessoas jurídicas (redução de 1,47% para 1,42% ao mês no piso e de 3,24% para 3,19% ao mês na máxima). A antecipação de crédito lojista (ACL) também teve redução de 1,58% ao mês para 1,53% ao mês no piso; e de 3,94% para 3,89 ao mês no maior patamar.

(Redação - Agência IN)