Tensão geopolítica volta ao radar dos investidores

Tensão geopolítica volta ao radar dos investidores (Foto: Divulgação) Tensão geopolítica volta ao radar dos investidores

Clima de tensão entre Coreia do Norte e Estados Unidos aumenta e as principais bolsas de valores globais apresentam sinais opostos nesta sexta-feira, 22. Com isso, as bolsas europeias e norte-americanas operam de lado nesta tarde.

Ásia

Na Ásia, as bolsas fecharam o pregão no campo negativo, com o acirramento das tensões geopolíticas envolvendo a Coreia do Norte e após o rebaixamento da nota de crédito da China pela S&P.

Europa

Enquanto isso, na Europa, as bolsas sobem.

Na região, o Markit Economics divulgou que o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto, medida ampla do setor privado que combina dados manufatureiros e de serviços, da zona do euro deve registrar 56,7 pontos em setembro, uma alta em relação aos 55,7 pontos registrados no mês anterior.

EUA

Em Wall Street, bolsas apresentam sinais opostos.

Por lá, o índice gerente de compras (PMI, na sigla em inglês) composto dos Estados Unidos deve registrar 54,6 pontos em setembro, ante os 55,3 pontos do mês anterior, segundo dados preliminares divulgados pelo instituto Markit Economics.

Brasil

Aqui no Brasil, o Ibovespa recua 0,30%.

Agenda

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) da Fundação Getulio Vargas subiu 1,4 ponto em setembro, atingindo 82,3 pontos, mesmo nível de junho deste ano. A alta interrompe a sequência de três quedas consecutivas após a crise política de maio.

Além disso, a confiança do empresário industrial aumentou significativamente em setembro, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) atingiu 55,7 pontos este mês, o que representa aumento de 3,1 pontos na comparação com agosto. Com isso, o índice alcançou o patamar mais elevado desde março de 2013, consolidando-se acima da linha divisória dos 50 pontos.

Câmbio

Para finalizar, no mercado de câmbio, o dólar deverá apresentar perdas em relação às demais moedas globais.

(MR – Agência IN)