Com manutenção da taxa de juros, investimentos em renda fixa continuam atraentes

Pela nona vez consecutiva, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa de juros básicos em 14,25%. Para o economista da Órama Alexandre Espirito Santo, não há surpresa na decisão. Ele ainda acredita que os juros poderão começar a cair a partir da reunião de outubro, isso, enfatiza, caso haja uma evolução satisfatória das medidas fiscais que precisarão ser aprovadas no Congresso, como a PEC dos gastos e as reformas da previdência e trabalhista. "Isso ficou muito claro no comunicado do comitê, divulgado após a reunião. Do contrário será complicado iniciar o processo de afrouxamento monetário já", analisa.

Nova queda no PIB reforça indicação para títulos e fundos de renda fixa

O recuo de 0,6% do PIB do segundo trimestre em relação aos três meses anteriores contrariou as expectativas do mercado, que previa índice de 0,5%. O anúncio do IBGE hoje reforçou o quadro de instabilidade que persiste na economia e levou os analistas a revisarem as perspectivas do resultado para 2016. Segundo o economista da Órama Alexandre Espirito Santo, o resultado é decepcionante, já que são seis trimestres consecutivos de queda no indicador. O resultado do agronegócio desapontou os analistas (-2%), bem como dos serviços (-0,8%).

Vai investir em renda fixa? Conheça as taxas cobradas

Uma das principais dificuldades do investidor que vai aplicar em renda fixa é entender quais são as taxas e os impostos cobrados em cada modalidade de investimento. Outro desafio comum é definir valores e prazos para, assim, selecionar as opções mais adequadas ao seu perfil de investidor.

Assinar este feed RSS