BCE mantém taxas de juros inalteradas

Na reunião de hoje, 08, o Conselho do BCE decidiu que a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento e as taxas de juro aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito permanecerão inalteradas em 0.00%, 0.25% e -0.40%, respetivamente. 

Copom inicia reunião para definir taxa de juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) inicia hoje (30), em Brasília, a quarta reunião do ano para definir a taxa básica de juros, a Selic. Instituições financeiras, consultadas pelo BC, esperam que a Selic seja reduzida em 1 ponto percentual caindo para 11,25% ao ano.

Juros é a principal barreira para 38% dos empresários que não buscam crédito, mostra SPC Brasil

As altas taxas de juros cobradas pelas instituições financeiras são o principal motivo para os empresários dos ramos do comércio e serviços não buscarem crédito para investir e desenvolver seus negócios. A constatação é de uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) com empresários de todos os portes nas 27 capitais. De acordo com o levantamento, entre aqueles que nunca recorreram a empréstimos e financiamentos, quatro em cada dez (38%) atribuem a decisão ao fato de considerarem os juros elevados. A burocracia no processo de aprovação de um empréstimo foi citada por 12% dos entrevistados. Outro motivo é que 44% desses empresários conseguem manter a operação da empresa com recursos próprios. No total, 58% dos varejistas nunca utilizaram, ou ao menos buscaram, crédito na forma de empréstimos ou financiamentos.

Juros do rotativo chegam ao menor nível após novas regras

Após um mês de vigência das novas regras de uso do crédito rotativo do cartão, que passou a valer em 3 de abril, segundo a Resolução CMN 4.549, do Banco Central, a taxa média de juros dessa modalidade chegou ao seu menor patamar, 225,4% ao ano (10,3% ao mês), na primeira semana de maio, de acordo com levantamento da Abecs, associação que representa o setor de cartões. Antes da mudança, a taxa registrada na última semana de março foi de 455,1% ao ano (15,4% ao mês), o que confere uma redução de 50,5% para a taxa atual.

Taxa de juros em queda traz oportunidades de investimentos

No atual cenário de queda de juros, quem tem investimentos deve estar se perguntando se vale a pena manter suas aplicações em renda fixa mesmo com a tendência de uma taxa de juros ainda menor daqui em diante. A resposta é sim, a renda fixa continua vantajosa mesmo com esse novo cenário.



Queda dos juros do rotativo se confirma na última semana de abril

Levantamento da Abecs, associação que representa o setor de cartões, em relação à quarta semana de abril confirma trajetória de queda da taxa de juros do rotativo, que chegou a 230,3% ao ano – 10,5% ao mês – no período. A redução foi de 49,4% em relação à quarta semana de março, quando a taxa média era de 455,4% ao ano (15,4% ao mês).

O patamar atual, de 230,3%, é 22,3% menor do que o registrado na primeira semana de abril, de 296,3%, que já havia apresentado queda de 40% em virtude da nova regra do rotativo, confirmando a tendência de queda da taxa. O levantamento da Abecs é realizado com base em informações das seis principais instituições financeiras do País.

(Redação - Agência IN)

Taxas de juros apresentam queda em maio, revela Procon-SP

Pesquisa de taxas de juros realizada pelo Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, em 3 de maio, aponta que, quatro instituições financeiras que fazem parte do levantamento diminuíram a taxa do cheque especial e, duas do empréstimo pessoal. Fazem parte da pesquisa os seguintes bancos: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander
Cheque Especial – a taxa média dos bancos pesquisados foi de 13,48% a.m., inferior ao mês anterior que foi de 13,53% a.m., representando uma queda de 0,05 ponto percentual.

BCE mantém taxas de juros em 0,00%

Na reunião de hoje, 27, o Conselho do BCE decidiu que a taxa de juro aplicável às operações principais de refinanciamento e as taxas de juro aplicáveis à facilidade permanente de cedência de liquidez e à facilidade permanente de depósito permanecerão inalteradas em 0.00%, 0.25% e -0.40%, respetivamente. O Conselho do BCE continua a esperar que as taxas de juro diretoras do BCE permaneçam nos níveis atuais ou em níveis inferiores durante um período alargado e muito para além do horizonte das compras líquidas de ativos.

Assinar este feed RSS