Inflação próxima à meta abre espaço para Selic cair para um dígito até o final do ano, aponta SPC

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) considera positivo para a economia a decisão anunciada nesta quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central em reduzir a taxa básica de juros (Selic) em 1,0 ponto percentual de 12,25% para 11,25%, o mais baixo patamar desde outubro de 2014. A decisão do Copom reflete a desaceleração dos preços dos últimos meses e a expectativa do mercado de que a inflação poderá até mesmo ficar abaixo do centro da meta ao final de 2017, fato que não acontece desde 2009.

Aceleração da queda da taxa de juros é decisão acertada, considera FIRJAN

O Sistema FIRJAN considera acertada a decisão do Copom de acelerar a queda da taxa de juros, na medida em que a inflação está em trajetória cadente e a atividade econômica ainda não mostrou sinais claros de recuperação. De fato, a inflação deve encerrar o ano abaixo da meta de 4,5%, fato que não ocorre há oito anos, ao passo que as expectativas para o crescimento do PIB não só permanecem inferiores a 1% como têm sido revisadas para baixo há quatro semanas.

 

Banco Central acertou na redução da Selic, diz Associação Comercial de SP

Para o superintendente institucional da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo, o Banco Central acertou na redução da taxa básica de juros.

“É um corte muito bem-vindo. Com a queda de preços já dentro da meta para o ano, é preciso reduzir rapidamente a diferença entre a Selic e a inflação. Mais do que isso, a decisão do BC é uma ação concreta para alavancar a retomada da economia e, principalmente, conter o desemprego”, analisa Solimeo.

(Redação - Agência IN)

BullMark Financial Group aposta na redução de 1 pp na Selic

O BullMark Financial Group prevê que o Comitê de Política Monetária (Copom) tem subsídios para realizar um corte de 1 ponto percentual, trazendo a Selic para 11,25%. A expectativa de corte se deve à diminuição do crescimento do PIB para 0,5%. “Como as projeções do governo continuam de queda da inflação, inclusive surpreendendo positivamente em março, acreditamos que corte de 1 ponto percentual é o mais provável”, explica Renato Nobile, CEO da BullMark. A gestora financeira aposta que a taxa Selic feche o ano em 8,5%.

TJLP é fixada em 7% a.a. para o 2º trimestre de 2017

O Banco Central do Brasil, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público que o Conselho Monetário Nacional (CMN), em sessão extraordinária realizada em 30 de março de 2017, com base nas disposições da Lei nº 9.365, de 16 de dezembro de 1996, com as alterações introduzidas pela Lei nº 10.183, de 12 de fevereiro de 2001, fixar em 7% a.a. a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) a vigorar no período de 1º de abril a 30 de junho de 2017, inclusive.

(Redação - Agência IN)

Taxas de juros têm nova queda, mostra ANEFAC

As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser reduzidas em fevereiro de 2017, sendo a terceira redução consecutiva e a quarta em dois anos. Para o diretor executivo de Estudos e Pesquisas da ANEFAC, Miguel José Ribeiro de Oliveira, esse resultado pode ser atribuído a dois fatores:

Assinar este feed RSS