Atividade do comércio cai 32% em abril

As restrições de mobilidade e o isolamento social impuseram ao varejo o pior resultado em duas décadas. Dados do Indicador de Atividade do Comércio apurado pela Serasa Experian mostram que as vendas no varejo apresentaram um recuo expressivo de -31,8% em abril deste ano na comparação com igual período de 2019. Trata-se da queda mais intensa desde janeiro de 2001, início da série histórica. A última vez que o comércio havia sentido um tombo tão expressivo havia sido em janeiro de 2002, quando houve uma queda de -16,5%. 

Intenção de consumo das famílias tem queda de 21,6% em maio

Com dados mais recentes das consequências da crise ocasionada pela pandemia de covid-19, o Índice de Consumo das Famílias (ICF) segue em queda em maio (-21,6%) – de 98,8 pontos em abril para os atuais 77,4 pontos, menor patamar desde janeiro de 2017. O Índice de Confiança do Consumidor também recuou (-13,5%), 96,8 pontos em maio, ante os 112 pontos de abril.

Movimento do Comércio cai 26,6% em abril, diz Boa Vista

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, cedeu 26,6% em abril na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador apresenta retração de 1,3%. No acumulado do ano o indicador recuou 6,4% contra o mesmo período do ano passado. Já em relação ao mesmo mês de 2019, o varejo apontou queda de 26,3%.

Confiança do comércio sobe em maio, mostra FGV

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas subiu 6,2 pontos em maio, passando de 61,2 (mínimo da série histórica) para 67,4 pontos. Nos dois meses anteriores, o índice havia acumulado perdas de 38,6 pontos e chegado ao menor nível da série histórica.

Confiança do Comércio recua em abril

O Índice de Confiança do Comércio (ICOM) da Fundação Getulio Vargas recuou 26,9 pontos em abril, a maior queda em toda a série iniciada em abril de 2010. O ICOM passou de 88,1 para 61,2 pontos, também registrando o mínimo da série histórica. Em médias móveis trimestrais, o índice caiu 12,3 pontos.

Atividade do comércio cai 16,2% em março

A atividade do comércio brasileiro em março deste ano teve a maior queda no comparativo mensal da série histórica, iniciada em 2000. A redução foi de 16,2%, na comparação com fevereiro/20, feitos os devidos ajustes sazonais, segundo o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian. 

Assinar este feed RSS